Header Ads


Denuncie maus tratos contra crianças, disque 100

Moradores reclamam da falta de ação da prefeitura no Rio Vermelho

Moradores reclamam da falta de ação da prefeitura no Rio Vermelho Apesar das muitas promessas feitas pela prefeitura até o momento não se viu no Rio Vermelho nenhuma ação para sanar ou mesmo minimizar os inúmeros problemas vivenciados pelos moradores. Exceto algumas ações pontuais no trecho da orla, a exemplo da retirada do gradil enferrujada da Praça do Padre e a restauração do monumento do mestre Didi, nada mais aconteceu, nem a sinalização horizontal que começou foi concluída e a recuperação dos passeios, anunciada como solução para a mobilidade dos pedestres, vem sendo executada de modo precário com cada um fazendo do jeito que quer. O piso tátil que deveria facilitar a vida das pessoas com deficiência visual está sendo aplicado de qualquer maneira e em alguns trechos leva a pessoa cega até um poste. Isso sem falar dos carros que são estacionados sobre esse piso. A Secretária da Ordem Pública que no inicio da gestão andou fazendo alguma ação de fiscalização no bairro, simplesmente sumiu e a bagunça continua a mesma com os bares ocupando praças e passeios de forma irregular. Na rua Macaúbas, faz tempo que os moradores apelam, sem sucesso, por uma solução para uma cratera gigante que aumenta a cada chuva e já toma uma parte da pista. No Morro das Vivendas os moradores reclamam da ausência do poder público. Denunciam e convivem com lixo, cavalos, assaltantes e a desordem generalizada com calçadas ocupadas por mesas cadeiras e outras traquitanas. Situação semelhante é relatada pelos moradores da Rua Francisco Rosas, onde além dos problemas comuns de assalto, lixo, ocupação de calçadas pelo comercio informal, um terreno sem muro e sem calçada é utilizado como lixão onde todo tipo de bagulho é descartado. No Parque Cruz Aguiar os moradores reclamam da falta de fiscalização por parte da Transalvador que não aparece para disciplinar o transito na área e os estacionamentos irregulares sobre os passeios. Outra queixa está relacionada à falta de conservação das calçadas e a indefinição por parte da prefeitura com relação aos escombros do prédio conhecido como balança mais não cai que fica na Rua Feira de Santana. Como se tudo isso não bastasse, convivem ainda com do barulho produzido pelos inúmeros bares que funcionam no local.

2 comentários:

  1. Está aí a fotografia do Rio Vermelho , clicada a partir de um ângulo favorável para se ter uma imagem perfeita do bairro dos artistas e da boemia...Estamos aguardando !

    ResponderExcluir
  2. Vejam o que postei no tópico "Prefeitura manda retirar faixas de agradecimento ao governador fixadas na Ceasinha":

    "Quando querem, os OLHOS desta tal SUCOM são muito eficientes, mas os OUVIDOS são surdos porque o som em volume alto nesta cidade já virou cultura e este cabide de empregos não fiscaliza absolutamente nada.

    A faixa só foi retirada do local porque as eleições vem aí e as campanhas ja começam a serem articuladas. (Eu parei de votar ha muito tempo porque enquanto reinar este sistema politico que aí está, com 33 partidos políticos cheio de mafiosos, eu não voto em ninguém.

    Senhora SUCOM !!!

    Quando é que os senhores vão demolir as casas implantadas no leito do final da Rua Maragojipe (Loteamento Parque Cruz Aguiar) cuja rua é cadastrada no município com o código logradouro 998-9 ?!

    Eu tenho 5 lotes na quadra 26 com as suas frentes bloqueadas pelas casas construídas na frente dos lotes, na clandestinidade e bem no meio da Rua.

    A prefeitura insiste em me cobrar R$=7.560,00 de IPTU.

    Isto mesmo! Este ano o valor do IPTU veio lascando e chegou a R$=7.560,00 porque, segundo eles, trata-se de zona nobre, apesar da invasão!!!

    Já denunciei a irregularidade em todos os órgãos da Prefeitura (SETHA, SUCOM, SEFAZ, CODESAL e até no Ministério Público e eles arquivaram todos os processos sem tomar as devidas providencias.

    Quem tem a obrigação constitucional de cuidar e zelar pelas Ruas de Salvador é o Município e não eu.

    Ora, Repita-se: a Rua Maragojipe é uma rua inscrita no município com o código logradouro nº998-9 e até hoje não houve desafetação da Rua. Portanto, as demolições são inevitáveis!

    Vão cumprir a obrigação de vocês bando de... É mesmo um bando de vaga...lumes com os seus traseiros piscando e doidos para desviar dinheiro público porque é para isto que serve o dinheiro que recolhemos para o erário!

    Não é a toa que todos querem o cargo porque quando o mandato acaba saem milionários!"

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.