Header Ads


Denuncie maus tratos contra crianças, disque 100

Benefício da aposentadoria não é benesse é direito do trabalhador

Por Lady Eva

Olá pessoal amigo aposentado!.

Caro colega, solicito paciência a vocês para ler este artigo escrito por mim, Evanice/ D. Evanice, ou ainda Lady Eva, como queiram, e acessar no fim, um link que leva a uma entrevista esclarecedora a respeito do que se passa nos bastidores das arrecadações dos tributos que pagamos compulsoriamente, direta e indiretamente, sobre o que ganhamos e o que consumimos. Geralmente ficamos alheios e damos com os ombros, achando que é isso mesmo, e há quem censure reclamar-se e protestar, como se o "beneficio" de aposentadoria fosse uma "benesse" concedida pelo Estado, pois, ao nos aposentarmos viramos todos VAGABUNDOS, como certa feita disse raivosa e acintosamente FHC. E a maioria dos aposentados ficou silenciosa, como que envergonhada e sentindo-se vampira do sistema previdenciário, mesmo que tenha investido dupla ou triplamente durante sua fase mais produtiva entre os 25/30/35 ou anos mais de trabalho. E ainda que continue na atividade assalariada, ou autonomamente, permanece contribuindo com o INSS. Mas, observem meus caros colegas e queridos amigos, essa contribuição é surrupiada pelo sistema previdenciário. Ao solicitar-se do órgão arrecadador pertinente ( INSS ) a incorporação do que foi pago pós aposentadoria (o que vem a ser a desaposentação), um direito legítimo, a instituição age de má fé, chantageando o contendente, obrigando-o a devolver todo o benefício recebido para que passe a receber um novo com as incorporações do contributo reivindicado. Daí vem-se criando um impasse jurídico que tem abarrotado as instâncias jurídicas federais, agravando-se a morosidade normal da nossa justiça.

Há de se ter fé para uma sobrevida, como aquela idosa de 107 anos, conforme mostrado recentemente pela mídia nacional, que sobreviveu à demanda de mais de 20 anos, para receber um benefício irrisório que não atende às suas necessidades básicas. Semelhantes a esse, ou pior ainda, são milhares de casos Brasil a fora, enquanto a corrupção vai corroendo os cofres públicos, atacando onde a grana jorra como um rio caudaloso e onde não há um controle rígido, como na Receita Federal, cujas malhas são de longo alcance e implacáveis: prende e confisca bens de qualquer sonegador. Quem rouba estará condenado pro resto da vida. Isso não acontece com a Previdência Social, que geralmente é compassiva e perdoa seus sonegadores, quando não os desonera temporariamente, como forma de "incentivo" fiscal. E ainda serve de máquina de propaganda de ações sociais, numa forma descabida de fazer justiça, ofertando "bolsas graciosas" a pessoas segregadas da sociedade por prática de crimes, muitas vezes hediondos, sem que haja concomitantemente um projeto eficaz de regeneração, já que a alegação, sabe Deus, é proteger a família do criminoso e incluí-lo no convívio social após o cumprimento da pena.

Outros beneficiários dessa "caridade", são as vítimas da não inclusão social de geração a geração, por séculos seguidos, por falta de políticas sérias e consistentes, desde que o Brasil se tornou uma nação. Corrigir esse erro é até louvável. Mas, para tanto, nosso país ainda carece de muita seriedade e vontade política por parte de seus gestores públicos, do conjunto da sociedade e não apenas de um só segmento, como o dos contribuintes da Previdência Social. E tudo isso aliado a excelentes exemplos de dignidade dos governantes. O que temos visto são pessoas completamente dissociadas de um projeto verdadeiro que faça o país crescer e avançar, usando os espaços privilegiados que ocupam na política e na gestão pública para locupletarem-se, desafiando a justiça e a polícia para continuarem impunes em seu delitos de lesa-pátria.

Sem exemplos de honestidade e dignidade, será inútil criar uma "nova classe média", que apenas tenha um emprego, ganhe salário mínimo e alimente o comércio consumindo eletro eletrônicos e móveis, pagando a perder de vista. E tudo isso em detrimento de sua melhor formação educativa e como cidadãos. Não é correta essa forma de "distribuição de renda" feita na marra e na sangria dos segurados do INSS, que contribuíram e contribuem anos a fio para ter uma velhice digna. Também, temos culpa nisso, sabendo que a corda só parte do lado mais fraco, e dos que se envergonham de ser aposentado e não protestam para não se expor.

Enquanto não tivermos a coragem de nos indignarmos em alto e bom som, os governos continuarão sangrando a Previdência perversamente e alardeando pela mídia que a instituição é deficitária, numa contradição estúpida, pelas montanhas de dinheiro que tiram dela, e que em futuro próximo terá que ser reavaliada e reformada, criando-se um sistema previdenciário único. O que estarão maquinando?

A Anfip - Associação Nacional dos Fiscais Federais da Receita e Previdência, é uma instituição da maior credibilidade. Os seus associados lidam diretamente com os números das maiores arrecadadoras de tributos do país e sabem como ninguém das manipulações que todos os governos, sejam de qualquer partido e tendência ideológica, fazem do dinheiro público. Margarida Lopes é a atual presidente da Anfip e ela faz a sua parte nos aclarando a mente e mostrando como governo e mídia são parceiras em difundir mentiras sobre a falência do sistema previdenciário e como se dão as articulações em prejuízo dos segurados. Há vários anos venho acompanhando essa demanda por meio de um boletim que escrevo e edito informações a respeito, para a Associação dos Aposentados e Pensionistas da Previdência Social ( Asaprev/Casa do Aposentado), filiada à Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas ( Cobap). Obrigado por me lêem. Não deixem de acessar o link a seguir. Fiquem ligados. Bjs. para todos:
http://www.cobap.org.br/capa/lenoticia.asp?id=5734

Um comentário:

  1. Por que então essas associações que defendem os aposentados do Brasil não se juntam para entrarem na justiça com uma ação reivindicando a devolução de todo o montante do DINHEIRO DOS APOSENTADOS que foi desviado para construir a TRANSAMAZÔNICA, a PONTE RIO NITERÓI, a ITAIPU, dentre outras obras milionárias, corrigidos com juros, correção e os cambaus?

    Por que não se faz também um estudo da infração nos últimos 40 anos que corroeu os salários dos aposentados através dessas estatísticas manipuladas que estes safados nos apresentam
    todos os anos na hora de reajustar os nossos benefícios?

    Olha, sinceramente, acho que isto daria tanta grana, tanta grana, tanta grana que ia sobrar dinheiro para apanhar de pá carregadeira !

    Outra coisa: Por que a sociedade civil não se une para discutir um projeto nacional e após fundar um partido só para mudar toda essa zorra que aí está inclusive exterminar esses 33 partidos políticos cheio de ladrões que só servem mesmo para roubar o nosso dinheiro?

    Pois é!!! Temos ideias, mas não agimos ficamos sentados nas poltronas esperando contar com uma benevolência politica que nunca chega e jamais chegará se ficarmos remando apenas contra a maré. Vamos fazer o jogo deles!!!

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.