Header Ads


Denuncie maus tratos contra crianças, disque 100

Antes e depois do cargo - Artigo

Antes e depois do cargo- Artigo PARABÉNS PARA VOCÊ
Por Egnaldo Araujo *

Lembro-me ainda com muita alegria daquelas minhas datas natalícias em que, desde a véspera, eram ligações e mais ligações de parabéns de cumprimentos pelas mais diversas áreas do empresariado etcétera e tal..., além dos inúmeros buquês e arranjos de flores que a minha secretária recebia, sem contar, claro, “recuerdos”, agendas, vinhos das mais variadas marcas, tudo isso até o dia em que perdi o cargo, com termino do mandato do meu superior, do mais alto escalão do governo (municipal, estadual, federal), não importa quais áreas, o que importa mesmo é a diferença de tratamento entre o antes, no poder, e o agora, sem o referido status. Um grande e insuspeito diferencial, que leva a depressão pelo desapontamento muitos profissionais desprevenidos e enganados com a efemeridade de um cargo de confiança (DAS/ FG/ QI )...

“Quando eu estava no poder investido no alto cargo de DAS (Direção e Assessoramento Superior, como por exemplo, dentre tantos outros, esse cargo do qual se despede o Porta Voz da Dilma), com secretária, carro chapa branca e motorista a disposição, minha vida era toda, por assim dizer cor de rosa – maravilha”. Contudo, no dia de meu aniversário, tempo depois de deixar o cargo, apenas com meu vínculo de escriturário classe C, cargo de carreira; adivinhe quantos ligações de parabéns recebi? Diga? Chute? Não precisa dizer, eu digo: “Apenas umas duas, uma de minha mãe (e familiares) e uma outra de minha ex-secretária, que nunca esquece a data, e, só".

Mas quando reassumir aquela editoria importante e o nosso grupo político retomar o poder isso poderá mudar, retomarei minhas antigas funções e irei me aposentar com um alto salário, sairei desse bairro popular e irei morar num condomínio de classe alta, em casa com piscina, cachorrão na coleira e demais benesses. Isso, se antes eu não morrer de paixão (pois adoro o poder he he he e quem não gosta?). Afinal meu sonho mesmo é voltar a ter aquele batalhão de puxa-sacos meu redor, para eu poder convida-los para cantar comigo: “Voltei! Aqui é o meu lugar....”

PS. Ah! Ia me esquecendo de um fato curioso, (impensável até, caso ainda contasse com as secretárias a barrarem a porta, naquele suntuoso gabinete):

Num certo dia qualquer, creio numa tarde de sexta-feira; um amigão apareceu sem avisar na minha seção de expediente; frente à minha simples mesa de trabalho, portando um pacote de (que deixou o ambiente cheirando a acarajés e abarás com camarão) lanches, que, incontinenti os depositou sobre a minha agora humilde mesa a dizer:! companheira! “Vim fazer-lhe uma surpresa, trouxe-lhe um lanche para que comemoremos meu aniversário”, (pura mentira!); data especial, aceitas”?

Se fosse com você, o que farias? Claro, fazer o que fiz: afastei a papelada e montamos ali mesmo comilança com os colegas vizinhos, he he he... para depois cantarmos, que, sem o saber era para mim os: Parabéns para você... Foi inesquecível: “Amigo é coisa pra se guardar no fundo do peito”....

*Egnaldo Araújo é Jornalista - DRT – 4230- DF.

Um comentário:

  1. Uma realidade . Viver nas alturas é uma coisa e comemorar o aniversário sobre um tampo de escrivaninha é como cair do último andar da escada... O sonho, agora, é voltar a subir de novo. Como continuará esta estória ? A vida tem tantos altos e baixos...É melhor recomeçar fazendo parte do cordão dos... ( gostei )

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.