Header Ads


Denuncie maus tratos contra crianças, disque 100

Dicas de direcionamento para quem deseja retornar ao mercado de trabalho

Dicas de direcionamento para o futuro de quem deseja retornar ao mercado de trabalhoPor Rodolfo Kobus,

Sabemos que nunca é fácil lidar com perdas. Na vida profissional, essa preocupação também não é diferente. É muito importante, analisar e entender os pretextos que motivaram o antigo líder (ou chefe!) a optar por tal decisão. Para o retorno ao mercado, temos que ter foco, traçarmos uma meta e ter confiança em nossa recolocação. Confira abaixo, algumas dicas de como buscar este caminho de forma segura e direcionada.

1. Restruturação financeira

O desligamento pode afetar o profissional de várias maneiras, inclusive no seu bolso. Lembre-se que o seguro-desemprego e as verbas rescisórias tem curto prazo, portanto é fundamental organizar sua vida financeira. Reduza os gastos de forma racional e prepare-se mentalmente para ficar um tempo maior do que o esperado sem trabalho. Desta forma, você terá maior calma e equilíbrio emocional para enfrentar o momento.

2. Reflita sobre sua carreira

Reflita sobre sua trajetória profissional e analise a experiência que você acumulou. Suas vitórias e conquistas, metas batidas e projetos bem executados reforçam a autoestima e ajudam a adotar uma postura mais positiva. Direcione e estabeleça o que quer de sua carreira daqui pra frente, trace suas metas e objetivos profissionais antes de sair disparando o currículo para qualquer vaga e lugar.

3. Up no CV

Após refletir sobre sua carreira, seja sucinto e direto na atualização do currículo. Ressalte brevemente as ultimas empresa, período, função e as principais atividades realizadas. Além do CV, alimente as redes sociais, como o Linkedin e o Facebook. Hoje muitas empresas divulgam e procuram pessoas pelas redes sociais, portanto, muito cuidado também com suas postagens.

4. Atualize-se

Este é o melhor momento para se dedicar a cursos, palestras e usar o tempo livre ao seu favor, dedicando-se ao seu desenvolvimento contínuo. Além de aumentar seu networking, estudar durante o período em que estiver fora do mercado demonstra que você não ficou “empacado”, é dedicado e esta disposto a aprender.

5. Rede de contatos (networking)

Hoje, 70% das posições que circulam no mercado são preenchidas através de networking e sequer são publicadas em mídias especializadas. E quanto mais altas as posições, mais restritas ao networking são. Como se trata de um "jogo de interesses", bem resolvido e sem culpas, você pode desenvolver sua rede de contatos com maior facilidade quando está em ascensão profissional ou estável em sua carreira. Um erro comum é a ativação dessa rede apenas no momento da necessidade. Portanto, networking ontem, hoje e amanhã.

6. Você é o Camisa 10

Não se faça de vítima e não caia na armadilha de achar que o mundo é injusto, que você foi prejudicado ou que todos são culpados por sua demissão, menos você. Bola pra frente, é a hora de mudar sua atitude, chamar “o jogo” e comandar a mudança na sua vida profissional. Uma atitude positiva, de protagonista do seu destino, é percebida e valorizada por recrutadores e possíveis empregadores. Se o motivo da demissão foi uma falta de habilidade ou competência sua, aproveite esse período para preencher essa lacuna e se capacitar.

7. A entrevista – Pontos fortes

Chegue pelo menos 15 minutos antes da entrevista. Se preparar é fundamental, estude a empresa e busque notícias da mesma, saiba qual a área de atuação e imagine o que suas habilidades podem auxiliar na empresa, inclusive com experiências anteriores. Uma roupa formal e adequada para o cargo também caem muito bem. Na entrevista, e evite cair em clichês. Cite como projetos realizados e situações para expor suas características. Se você citar como ponto forte a capacidade de tomar decisões rápidas, conte alguma situação em que tinha um grave problema e que, com poucas informações e pouco tempo você tomou determinada decisão.

8. A entrevista – Pontos Fracos

Não chegue atrasado e nunca falte uma entrevista de emprego, isso “queima” o profissional. Em uma entrevista em grupo, com dinâmicas ou apresentações, nem pense em ficar mexendo no celular. Na entrevista, quando mencionar seus pontos fracos, “perfeccionista ou muito organizado” não são defeitos. Já dificuldade em trabalhar em equipe, inflexibilidade, mau humor são defeitos. Todos têm defeitos, ter ciência de quais são e como lidamos com eles é o que faz a diferença. Clichês como “centralizador ou super sincero” não pegam bem. Diga coisas que você acredita que tenha como defeitos, mas que não o atrapalhariam na contratação como ser ansioso, por exemplo.

9. A verdade, sempre, sobre a demissão

Se o recrutador perguntar sobre o motivo de você ter sido despedido do último emprego, seja sincero. Lembre-se de que existem formas para eles descobrirem o que aconteceu e será pior se você não for honesto.

10. Empresas de recolocação

É muito importante estar antenado com as empresas que trabalham com Recrutamento e Seleção na sua cidade. Hoje com uma rápida pesquisa no google, você consegue descobrir facilmente o site e as vagas trabalhadas por várias empresas. Também é interessante participar de grupos de empregos nas redes sociais. Lembre que a recolocação profissional também é um “trabalho” e diariamente deve ser feito para ter êxito.

Acredito que com estas dicas, o caminho de sua recolocação profissional se torna mais certeiro.

Rodolfo Kobus,
sócio administrador da EML RH e diretor regional da Jan-Pro
rodolfo@emlrh.com.br / rodolfo.kobus@jan-pro.com

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.