Header Ads


Denuncie maus tratos contra crianças, disque 100

O que fazer na Casa da Mãe nos dias 09, 10, 11 e depois do carnaval

O que fazer na Casa da Mãe nos dias 09, 10, 11 e depois do carnavalCinq Jazz a La Carte, Sarau Comidinha de Panela e Roda da parada para o carnaval e depois volta na quinta de cinzas com Choro, Samba e Amor, com Stella Maris e Pedro Morais.

O que fazer na Casa da Mãe nos dias 09, 10, 11 e depois do carnavalSEGUNDA - “Cinq Jazz a La Carte” – 09.02, às 20h, ingressos a R$ 10,00 – O quinteto “baiano” de jazz A CINQ é formado pelo trompetista alagoano Joatan Nascimento, pelo baterista francês Laurent Rivemales, pelo baixista maranhense Alexandre Vieira, pelo tecladista (este sim, baiano) Bruno Aranha e pelo trombonista argentino Matias Hernan Traut. Nas segundas-feiras eles fazem um show de jazz, com os standars que mais gostam e surpresa ! Em cada mesa o público encontra um cardápio musical com as músicas que o grupo pode tocar naquela noite. A ideia é que as pessoas escolham as músicas que querem ouvir, a partir do que é oferecido no cardápio.

O que fazer na Casa da Mãe nos dias 09, 10, 11 e depois do carnavalSobre Joatan Nascimento - Nascido em 1968, o alagoano Joatan Nascimento é um dos mais reconhecidos trompetistas de sua geração. Iniciou-se no mundo da música aos onze anos atuando em diversos conjuntos de música popular e, em 1987, mudou-se para Salvador (BA) graduando-se em trompete pela Escola de Música da UFBA. Desde 1989 é membro da Orquestra Sinfônica da Bahia, onde teve um aprendizado gigantesco com os maestros Isaac Karabchevsk, Roberto Duarte, Julio Medaglia, entre outros. Ao longo do tempo, Joatan vem sendo requisitado para inúmeras gravações ao vivo e em estúdio. Artistas como Carlinhos Brown, Banda Eva, Fred Dantas, Banda Cheiro de Amor, Chiclete com Banana e Ivete Sangalo já dispuseram do vibrante som de seu trompete. Em 1994 participou do show do percussionista porto-riquenho Tito Puente no Fest'in Bahia e desde 1995 integra a banda de Daniela Mercury. Em 1998 participa da turnê Livro Vivo, de Caetano Veloso, na qual é registrado o CD ao vivo Prenda Minha e quatro anos depois lança seu primeiro CD, intitulado Eu Choro Assim.
O que fazer na Casa da Mãe nos dias 09, 10, 11 e depois do carnaval
TERÇA - “Sarau Comidinha de Panela” – 10.02, às 20h, entrada franca – Noite garantida de alegria delirante e boa comida ! A Casa da Mãe abre suas portas gratuitamente, às terças à noite, e promove Jams com os melhores músicos da cidade. No cardápio casquinha de siri e de maturi, arrumadinhos e escondidinhos, o melhor da comida do Recôncavo. Já no palco, a mistura sonora é pura surpresa !

O que fazer na Casa da Mãe nos dias 09, 10, 11 e depois do carnavalQUARTA - “Roda de Choro” – 11.02, às 19h30, ingressos a R$ 10 – Lugar VIP para músico que dá canja ! A “Roda de Choro” é aonde se vive a essência da música brasileira. É onde músicos experientes e jovens instrumentistas trocam experiências e diálogos musicais, garantindo de um lado a preservação e de outro a renovação da nossa mais autêntica música, o chorinho. Bom de tocar, bom de ver tocando...Melhor ainda estar lá curtindo tudo.

O que fazer na Casa da Mãe nos dias 09, 10, 11 e depois do carnavalDEPOIS DO CARNAVAL!

O que fazer na Casa da Mãe nos dias 09, 10, 11 e depois do carnavalQUINTA – “Samba e Amor” – Stella Maris e Pedro Morais – 19.02, às 22h, ingressos R$ 12,00 – Stella Maris e Pedro Morais se encontram todas as quintas na Casa da Mãe para cantar os sambas de amor de Cartola, Noel Rosa, Lupcínio Rodrigues e Chico Buarque. Stella Maris é cantora, compositora, instrumentista (violão) e chef e Pedro Morais é cantor. Os dois tem carreiras marcadas por prêmios e shows de sucesso. Misturar sambas novos e antigos é a ideia chave do projeto “Samba e Amor”, para homenagear os compositores brasileiros e baianos, juntando a experiência de Stella Maris e o conhecido trabalho artístico de Pedro de Rosa em Salvador, que emplacou trabalhos como "As Rosas não Falam", "Naquele Tempo", "De Bossas e Sambas" e, mais recentemente, " Quem Há de Dizer", em homenagem à Lupicínio Rodrigues.

Mas o show não fecha só em sambas. A cada edição, "Samba e Amor" conta com convidados, artistas que já realizam diferentes trabalhos na cidade, que vêm mostrar para um público sempre atento os novos ares da música que se vive na Bahia. Já passaram por lá Tito Bahiense, Claudia Cunha, Carla Vise, Juliana Ribeiro e o grupo Cama de Voz, entre outros, e alguns artistas de fora da cidade, como Da Hora, integrante da banda Cidade Negra, e a cantora e poetisa Elisa Lucinda.

No palco do "Samba e Amor", além de Stella Maris e Pedro de Rosa, estão presentes os músicos Gabriel Marques, no violão 7 cordas, que também assina a direção musical e os arranjos, Bruno Nery no trombone e Ênio Bernardes na percussão.

Casa da Mãe - Rua Guedes Cabral, 81 – Rio Vermelho

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.