Header Ads

Programação de 08 a 14 junho da Varanda e do Teatro do SESI

TEATRO

08/06 - PATRICIA HITA

A realização deste show tem o objetivo de apresentar e divulgar este belo trabalho de Patrícia Hita, concebido de forma cuidadosa e artesanal, inicialmente para a gravação do seu primeiro CD, gera frutos para apresentação deste show de mesmo nome. Dirigido e arranjado por Ducca Rios e Luciano Silva, Panapaná junta canções lindas, saudosas, alegres, bucólicas, arteiras, fagueiras que remetem há outros tempos ou a outros mundos. Que também falam de borboletas, de amores, de acaso, de amizade, de flores e jardins de primavera, de riachos e ribeirões, de matas, matos e mitos, contados e cantados como histórias por essa gata de botas. Com a concretização da gravação do CD, surge a necessidade de apresentar e divulgar este trabalho através deste show, que terá em seu repertório as canções do disco. O Show Panapaná é composto por um repertório de 14 (catorze) músicas, sendo 11 (onze) autorais, onde passeia por baiões, cirandas e músicas com um viés regional da Bahia e com influências universais. A artista compõe suas músicas com letras simples e que refletem o seu espírito de respeito à música através da singeleza, da inocência, do "pé no chão", da raiz, da tradição, mesmo com um toque que algumas vezes pode soar sofisticado na sonoridade, fruto da sua experiência acadêmica. “Minha música é para todo mundo, leva a pessoa a qualquer lugar no tempo e no espaço”, anuncia a artista. O trabalho conta com participações especiais, a direção artística é da própria cantora juntamente com Ilma Nascimento, e conta com a direção musical de Luciano Silva e arranjos de Ducca Rios e Luciano Silva.
  • Horário: 20 horas
  • Dias: 08 de Junho / 2017
  • Ingressos: R$ 30,00 inteira 15,00 meia

09/06 - APUAMA

Apuama é um grupo de música popular brasileira que, além de composições próprias, busca resgatar compositores brasileiros não muito conhecidos pelo público em geral. A ideia surgiu primeiramente na forma de dueto, com a junção do violão e voz de Marcelo Maia e o violão flamenco de Alê Palma, quando ambos residiam na Espanha, em Andaluzia em 2012. A ideia inicial era unir a música popular brasileira ao flamenco. Como resultado desse encontro, surgiu a ideia de gravar um disco ainda em solo espanhol, concluindo as últimas faixas já em Salvador. O disco contou com a participação de muitos músicos espanhóis e brasileiros como as participações Júlio Caldas, Maviael Melo e Laila Rosa. O grupo Apuama tem como base musical os ritmos e gêneros da música nordestina, tais como o baião, o coco, a chula, o maracatu, a embolada que se unem a influência de gêneros musicais como o rock, o blues, o reggae e o funk.

Algumas faixas do disco a ser lançado concorreram a dois festivais baianos: o Festival Edésio Santos 2015, em Juazeiro, com a música “Embolada Estradeira” e em 2016 o XIV Festival de Música da Radio Educadora da Bahia com a canção “Rastro de Estrelas”, que obteve o 12º lugar.

Na primeira noite teremos como convidado mais que especial nessa data nosso querido irmão Julio Caldas.
  • Horário: 20 horas
  • Dias: 09 de Junho / 2017
  • Ingressos: R$ 20,00 inteira 10,00 meia

10 E 11/06 - LUIZ E A LIBERDADE

A peça conta a história da infância e juventude de uma das personalidades negras mais notáveis do século XIX. O baiano Luiz Gama nasceu no ano de 1830, e com muita determinação e inteligência venceu os obstáculos da escravidão e lutou pela liberdade dos cativos. Nascido de mãe negra livre e pai branco, foi contudo feito escravo pelo pai aos 10 anos. Inteligente e obstinado, Luiz tornou-se rábula (advogado que não possui formação acadêmica porém tem autorização para advogar), orador, jornalista e poeta. Aos 29 anos já era considerado "o maior abolicionista do Brasil”. A adaptação da companhia A RODA utiliza a técnica de animação de bonecos de luva.

​A COMPANHIA

A RODA surgiu no ano de 1997 em Salvador e desde então difunde o teatro de bonecos por meio da formação de animadores e da criação de espetáculos. A companhia carrega na bagagem 2 prêmios Braskem de Teatro (A Cobra Morde o Rabo e O Pássaro do Sol). Sob a direção artística de Olga Gómez – responsável pela criação e construção dos bonecos – o grupo já se apresentou em importantes mostras no Brasil e no exterior e por duas vezes participou do projeto Palco Giratório do SESC, circulando por 22 estados brasileiros em mais de 60 cidades.
  • Horário: 16 horas
  • Dias: 10 e 11 de Junho / 2017
  • Ingressos: R$ 20,00 inteira 10,00 meia

10 E 11/06 - FRIDA E EU

Frida e Eu é um projeto idealizado pela atriz Iêda Dias. Foi na busca de um texto dramático que Iêda encontrou na biografia romanceada Frida Kahlo, por Rauda Jamis, fragmentos para a composição de uma personagem que desse voz ao seu momento atual de vida. A arte, a intensidade, as inquietudes e as paixões da artista mexicana, impulsionaram-na a escrever o seu próprio roteiro.

O espetáculo solo, que tem como objetivo homenagear a artista mexicana, faz um mergulho no universo da renomada pintora. O texto, através de uma leitura pessoal, com o devido embasamento biográfico, procura imprimir em Frida e Eu uma simbiose perfeita, entre a mulher libertária e a artista de notável singularidade. Em cena desvelam-se suas paixões, suas cores e sua dores, numa dimensão de arte e vida esculpidas em uma só matéria, mulher em chamas; inspiradora e envolvente Frida Kahlo, Ícone da pintura universal.
  • Horário: 20 horas
  • Dias: 10 e 11 de Junho / 2017
  • Ingressos: R$ 40,00 inteira 20,00 meia

13/06 - ALMA NEGRA

O Show "ALMA NEGRA" consiste numa deleitosa incursão pela estética musical de afro cantores e compositores do planeta. Transitando além do tempo, além de gêneros, por heterogêneas nuances e timbragens, mantendo como elo agregador e indissolúvel, a beleza , a força , a poesia , o suingue e a alegria , típicos de um povo cheio de Luz , de alma leve e caloroso coração.

Ficha técnica : Piano Jarbes Pinheiro
Baixo e Violão Carlos Sousa
Sax e Flauta Marcos Café
Percussão Marcelo Índio
Produção : Janaina Costa
Designer Gráfico : Carlos Sousa
  • Horário: 20 horas
  • Dias: 13 de Junho / 2017
  • Ingressos: R$ 20,00 inteira 10,00 meia
14/06 BIT - BATALHA DE IMPROVISAÇÃO TEATRAL

Um novo formato de espetáculo de improvisação teatral chega a Salvador com a finalidade de difundir esta linguagem e diversificar a cena teatral da cidade.

Este formato de improvisação teatral nasceu no Canadá e já é uma realidade em vários países na Europa e América Latina. No Brasil já acontece no Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo.

Um espetáculo moderno e totalmente imprevisível, que mistura teatro e esporte. No palco, dois times de atores se enfrentam em jogos e cenas completamente improvisadas.

A plateia é o júri, e com seu voto decide quem merece ganhar essa divertida batalha. O formato de teatro de improviso faz de cada apresentação um espetáculo único e surpreendente.

Equipe: Direção e Arbitragem: Daniela Chavéz; Assistente de arbitro: Rafael Martins; Elenco: Cristiane Pinho, Evelin Buchegger, Felipe Viguini, Igor Epifânio, Kaika Alves, Luíza Senna, Mariana Freire, Maria Clara Mendes, Mauricio de Oliveira; Músicos: Alan Carvalho; Desenho e Operação de Luz: Romeran Ribeiro; Desenho Gráfico: Luíza Senna; Fotografia: João Marcos Barsan; Realização: Teatro Improviso Salvador; Direção de Produção: Mauricio de Oliveira.
  • Horário: 20 horas
  • Dias: Todos as quartas de Junho / 2017
  • Ingressos: R$ 20,00 inteira 10,00 meia
VARANDA
08/06 - WIL CARVALHO

Com sua versatilidade musical a cantora Wil Carvalho, vem a 25 anos cantando e encantando em palcos dentro e fora do Brasil, onde caminha livremente por vários estilos musicais: Mpb, Pop, samba, samba-reggae, samba de roda, etc. Com objetivo de proporcionar um show com um repertório eclético e muita alta astral, a artista apresenta ao SESI Rio Vermelho proposta de shows na Varanda do SESI, em todas as quintas-feiras do mês de novembro de 2015, acompanhada por violão, baixo e percussão. Wil se tornou conhecida no cenário musical de Salvador ao integrar as Bandas Reflexu`s e Tiete Vip`s, recebendo por vários anos o prêmio de “Cantora Revelação”. Em seu repertório, a artista oferece uma variedade de estilos musicais, onde além de releituras de clássicos já consagrados na música brasileira, apresentará músicas inéditas e regravadas que constam em seu CD/DVD.
  • Horário: 22 horas
  • Dias: 08 de Junho / 2017
  • Couvert: R$ 30,00

09/06 - FOGUEIRA NA VARANDA

O semba de Angola, o samba do Recôncavo e a Black Music de todas as vertentes deram base ao Black Semba. A música baiana que se espalhou pela cidade e revelou o novo som de Salvador.
O ritmo nasceu de um caldeirão com ingredientes de sons de matrizes africanas, numa alquimia orquestrada pelas mãos de um percussionista por excelência. Foi batucando lata, como tantos meninos da periferia de Salvador, que Francisco Pereira Chagas, 36 anos, desde cedo percebeu que tinha na música uma trilha a seguir.

Foi na adolescência que ele ganhou o apelido de Magary, inspirado no terrível MacGaren, personagem do ator japonês Junichi Haruta na série de TV Jaspion, nos anos 80. O sobrenome Lord foi dado pelo pai e tem a ver com a elegância dos nobres britânicos.

Dessa mistura nasceu Magary Lord, que virou nome artístico desse músico de talento inventivo e que através de uma profusão de sonoridades afro-brasileiras, misturada a influências de outras células musicais criou um ritmo vibrante e que transforma suas apresentações em uma explosão de alegria.
Décimo primeiro filho de uma prole de doze, Magary sempre foi hipnotizado pela música e nesse transe transformava seu caderno da escola em pandeiro e as panelas da cozinha numa prateada bateria. Da lage de casa, no bairro de Brotas, não resistia aos batuques estridentes que saiam das caixas dos trios elétricos, que ensaiavam na Avenida Ogunjá, antes de serem seguidos pela multidão nos circuitos do carnaval de Salvador.

Mas, foi a partir do aperfeiçoamento adquirido na Oficina de Investigação Musical do mestre da percussão Bira Reis, no Pelourinho, que Magary Lord se sentiu preparado pra bater tambor e convocar a massa. O primeiro grupo que formou tocava samba partido alto e foi batizado de “Caldo da Iaiá”, para homenagear uma tia incentivadora. Em seguida criou a banda Válvula D’Scape, que se apresentava no circuito de bares do Pelourinho e por outros espaços de música alternativa. Já como “Magary Lord Black Semba” deu início a uma série de apresentações nos palcos do Sankofa African Bar, no Centro Histórico e no Tarrafa Bar, no Rio Vermelho.
  • Horário: 22 horas
  • Dias: 09 de Junho / 2017
  • Couvert: R$ 30,00

10/06 - OS PARDAIS

O Bando Os Pardais surgiu há onze anos no bairro de Cajazeiras com o intuito de unir artistas da comunidade para fortalecer a cultura local. O grupo tem uma sonoridade marcante, passeando por vários ritmos que compõe a música nordestina como forró, xaxado, axé music, samba reggae, afoxé, dentre outros.

Influenciados por nomes da música brasileira como Luiz Gonzaga, Alceu Valença, Domiguinhos, Gerônimo, Raul Seixas e Lia Chaves. Os Pardais têm em sua musicalidade uma intenção bem dançante, extrovertida, porém com letras reflexivas e ideológicas.

Nos shows a banda apresenta músicas autorais além de outras já consagradas com novas roupagens, fazendo a plateia dançar, cantar e se divertir, além de se encantar com a interpretação da banda que hoje é formada por Fred Chaves (Voz), Chico Bento (Percussão), Leonardo Ribeiro e Israel Carvalho (Violão/Guitarra), Ricardo Rick (C. Baixo) e Pedro Leal (Bateria).

Os Pardais já se apresentaram em diversos locais da cidade como Irish Pub, Ciranda café e cultura, Varanda do Sesi Rio Vermelho, nas seis edições do APA show (Associação dos protetores ambientais) no bairro de Cajazeiras, no Beco dos Artistas, no trio do Beco na Parada Gay, em diversas calouradas da UFBA; fizeram participações no pelourinho nas praças Pedro Arcanjo, Tereza Batista e escadaria do Passo; realizou show de abertura das quatro edições do FESTG (Festival de teatro gente de Cajazeiras), além de integrar a programação do primeiro Festival da Cidade de Salvador, em homenagem ao aniversário da Cidade, dividindo o palco com nomes como Nelson Rufino e Batifun. Participou do projeto Boca de Brasa, promovido pela Fundação Gregório de Matos em 2014, representando mais uma vez a musicalidade do bairro de Cajazeiras.

No ano de 2012 o grupo criou o projeto “Sexta da Mistura” em Cajazeiras X juntamente com a banda Manos Preto e participou do movimento Boom Black, capitaneado pelo grupo Parque Sonoro, que é liderado pelo compositor Dom Chicla, além de artistas como Magary Lord, Mikael Mutti e Saulo Fernandes, dentre outros, com intuito de valorizar a arte produzida nas periferias de Salvador. Atualmente O Bando tem se apresentado todas sextas no Pool Music Bar, no bairro de Cajazeiras com projeto “Sexta da Pirraça”, que leva o nome de uma de suas canções que integra o álbum “Batendo Asas”, o primeiro da carreira do grupo, marcado pela cultura nordestina, os tambores africanos e o tempero baiano.
  • Horário: 22 horas
  • Dias: 10 de Junho / 2017
  • Couvert: R$ 20,00

12/06 - SEGUNDAS DO CHORINHO

O SEGUNDAS DO CHORINHO tem data, hora e local fixos, sempre as segundas-feiras a partir das 20h, na Varanda do SESI Rio Vermelho, quando apresenta grupos e artistas que trabalhem com a genuína música brasileira, o Choro. Um verdadeiro panorama do choro na Bahia, com vários grupo convidados, sendo um a cada noite de segunda-feira, a exemplo do Janela Brasileira, Gente do Choro, Casa Verde, Choro Novato, Choro do Uirapuru, Os Ingênuos, entre outros, com vários convidados especiais a cada apresentação, como Bandolla, Vitorio do Trompete, Luiza Britto, Ione Papas, Julio Caudas, entre tantos outros, uma parceria Hessel Produções e Teatro SESI Rio Vermelho / FIEB.
  • Horário: 20 horas
  • Dias: 12 de Junho / 2017
  • Couvert: R$ 20,00

13/06 - ROTA SONS

O projeto musical desenvolvido em parceria com o SESI onde grupos/artistas do cenário local apresentam sua sonoridade. O projeto acontece semanalmente às terças-feiras na Varanda do Teatro SESI desde Abril de 2011 e desde então já foram realizadas mais de 100 apresentações circulando no espaço 61 atrações. A frente do projeto neste retorno, o músico e compositor Paulo Giron traz artistas locais do cenário independente com apresentações quinzenais.
  • Horário: 21 horas
  • Dias: 13 de Junho / 2017
  • Couvert: R$ 20,00

14/06 - FORRÓ NA VARANDA

O cantor levará o público a passear por um repertório daçante no universo do nosso forró, resultado de uma visita à música produzida nesse gênero autentico e forte.

Para Viny Brasil, a Varanda é um palco que combina muito com esse show e um local ideal para fazer o publico cantar e dançar.

Viny Brasil

Indicado ao Prêmio Caymmi de Música 2017, nas categorias Show, com “Hebraico online” e Música com letra, com a canção “Quem inventou o trabalho?”, Viny Brasil é um artista com vasta experiência em apresentações em barzinhos, festas, hotéis e em diversas cidades dos estados brasileiros. Sua bagagem musical conta, também, com performances na Europa, onde esteve em cartaz no Casino Solverde, na cidade portuguesa de Espinho nos verões de 2005 a 2007 e recentemente no festival Brasseveckans vänner (festival de cultura brasileira que acontece na Escandinávia). Durante esse período sua música cheia de brasilidade conquistou público e crítica tendo como ponto de destaque uma refinada seleção de repertório, rendendo a ele cinco meses em apresentações ao lado de artistas advindos dos mais variados países. Essa permuta cultural proporcionou grande amadurecimento sonoro ao artista Viny Brasil, permitindo uma rica viagem pelos elementos da música internacional contemporânea e realçando a força da música nordestina de raiz.
  • Horário: 22 horas
  • Dias: 14 de Junho / 2017
  • Couvert: R$ 20,00

Teatro Sesi Rio Vermelho

teatrosesi@fieb.org.br
Facebook: TeatroSESI
(71) 3616 7061

Programação para junho da Varanda e do Teatro do SESI

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.