Blog do Rio Vermelho, a voz do bairro

terça-feira, 5 de maio de 2015

Umbilical - Show de Juraci Tavares no Teatro SESC-SENAC Pelourinho

Umbilical - Show de Juraci Tavares no Teatro SESC-SENAC Pelourinho

O poeta, cantor e compositor Juraci Tavares lança com show, no próximo dia 08.05, às 19h, no Teatro do Sesc-Senac Pelourinho, seu primeiro disco autoral, o CD Umbilical. Autor de várias composições para os blocos afro Ilê Aiyê, Malê Debalê, Cortejo Afro, Filhos de Gandhy e para os afoxés de Olinda e Recife Oyá Tokolê Afoxé, Oxum Pandá e Alafin, Juraci Tavares realiza, no CD e no show, um verdadeiro diálogo entre a música e a poesia, tendo como base a musicalidade baiana. Quem assina a direção musical de Umbilical e do show é o baiano Márcio Pereira, mestre em Artes Musicais pela University of New Orleans.

Conhecendo o CD Umbilical - Versos livres, reflexivos, inquietantes, olhar plural, histórico, educativo, poesia musicada alicerçada na liberdade e autonomia das palavras e dos sons que levam quem ouve a dialogar consigo mesmo. São versos e melodias atraentes pois são inquietantes e ao mesmo tempo leves e dançantes. Nos seus versos, encontra-se a indizibilidade da palavra sem se preocupar aonde as mesmas vão chegar. A sua sonoridade caminhante entrelaça caminho e caminhar se construindo ao mesmo tempo. Nela as inquietações, reflexões, olhares ancestrais-contemporâneos, sankofianos, andam circularmente. Esses aspectos na obra de Juraci Tavares são andantes livres, garantindo a soltura da palavra. Caminhares e versos circulares cingem o passado e o presente, ancestralidade e contemporaneidade, num tempo único que é o Tempo do Sankofa, ou seja, sem divisões.

O CD Umbilical remete a um olhar filosófico, plural, rítmico afro- brasileiro remetendo essa construção a olhares específicos e ao mesmo tempo capazes de abraçar os variados espectros humanos. No giro da roda, versos, palavras, cantos, poesias são umbilicais e provocadores, pois levam o seu ouvinte e leitor à busca incessante de respostas, levando-o para o seu interior, tirando-o do centro, inquietando-o e transformando-o em caminhante buscante. Os versos negro lindo é pleonasmo/ negro lindo é exclusão/ o negro lindo aí é dispensável/ é exceção é contra mão confirmam a sua intenção artística quando provocam seu ouvinte e leitor a refletir sobre expressões excludentes marcadoras de espaços na sociedade brasileira.

Trajetória do artista - Juraci Tavares nasceu em 1950, em Salvador-Bahia-Brasil, no bairro da Liberdade, reduto mais negro de Salvador. Poeta, músico, radialista, licenciado em Construção Civil e Filosofia pela Universidade Católica de Salvador; licenciado em Música pela Universidade Federal da Bahia; Especializado em Metodologia do Ensino Superior, lecionou durante 32 anos Construção Civil, no Instituto Federal de Educação Tecnológica da Bahia.

Nos anos de 2010 e 2011 foi lançado nas coletâneas de poesia Focus V, VI e na edição IX, lançada em 2014. Cantor e compositor de música popular brasileira, compositor dos blocos afros Ilê Aiyê, Malê Debalê, Cortejo Afro, Filhos de Gandhy, dos afoxés de Olinda e Recife OyáTokolê Afoxé, Oxum Pandá e AlafinOyó, foi campeão em 1999 do 25º Festival de Música Negra do Ilê Aiyê cujo tema foi a Força das Raízes; campeão em 2000 do 26º Festival de Música Negra do Ilê Aiyê, cujo tema foi Terras Remanescentes de Quilombos, com a música Demarcando Espaços Lugares.

A obra de Juraci Tavares é alicerçada no olhar acadêmico e na sua militância negra e humana visto que participa dos movimentos sócio-culturais da cidade, particularmente do Movimento Negro. É um artista sankofiano, pois produz no aqui e agora na companhia dos seus ancestrais. Constrói a sua obra musical, humana e literária coma liberdade que lhe é peculiar, por isso vai construindo caminhos sem se preocupar aonde vai chegar.

Em 2007 fez o show Veia Aberta nos dias 18 e 25 de julho, no Teatro do Sesi; 2008 volta ao Teatro do Sesi com o show Vacábulos Caminhantes com a participação especial do Afoxé OyáAlaxé, de Recife; 2009 o show Cordão Umbilical no Teatro Dona Canô na cidade de Santo Amaro da Purificação; 2010 com o show Juraci Tavares, Canto e Poesia fez 12 ( doze) apresentações no Espaço Cultural Casa da Mãe; no dia 11 de junho se apresentou no Espaço Cultural e Restaurante Beco da Rosália; no dia 28 de novembro de 2010 fez um show homenageando o Novembro Negro e o Ilê Aiyê com a participação da cantora Iracema do Ilê Aiyê, cantando um repertório cujo centro foi a cultura e a etnicidade negra. Cantou nos carnavais de 2008, 2009, 2010, 2011 e 2012 nos afoxés AlafinOyó de Olinda e Afoxé OyáAlaxé do Recife canções da sua autoria e dos seus parceiros feitas para esses dois afoxés;em julho de 2010 cantou no Festival Del Caribe na cidade de Santiago de Cuba a convite dos referidos Afoxés. No dia 09 de janeiro de 2011 fez os shows Canto e Poesia na cidade de Olinda.

Participou das Antologias Poéticas V, VI e VII em 2009, 2010 e 2011 respectivamente. No dia 14 de maio de 2011 fez o show poético e musical “ Procuram-se Áurea e Isabel “, levando para o público uma reflexão sobre os efeitos negativos que o treze e o catorze de maio de 1888 causaram a sociedade brasileira, particularmente a criança, ao homem e a mulher negra brasileira; fez dois shows no Espaço Cultural D’Venetta nos dias 29 de maio e 10 de abril de 2011. De 17 a 19 de outubro de 2011 cantou no oitavo Festival Internacional de Corais com o Coral Canto Brasil, sob a regência do maestro Dilton Ferreira nas cidades de Barcelona e Girona na Espanha; em junho de 2012 lançou o seu livro solo Vocábulos Caminhantes. Em novembro de 2014 participou do novembro negro da prefeitura Municipal de Salvador, ao realizar duas apresentações do Show Umbilicando no Espaço Cultural da Barroquinha.

Ficha Técnica
Artista: Juraci Tavares
Direção Musical: Márcio Pereira
Arranjos: Márcio Pereira
Músicos: Márcio Pereira (violão), Nielton Marinho (percussão), Isaías Rabelo (piano)
Participação: Stael Machado e Jocélia Fonseca
Iluminação: Nando Zâmbia
Técnico de Som: Luciano Almeida
Figurino: Katuka Africanidades
Concepção Cenográfica: Tulany e Stael Machado
Cenografia: Tulany e Bárbara Fernandes
Programadora Visual: Amanda Nascimento
Coordenação Geral: Juraci Tavares e Elisabeth Piedade Tavares
Coordenadora de Produção: Josi Acosta
Assistentes de Produção: Karla Koimbra e Daniel Lira
Produção: Acosta produções Artísticas
Realização: Juraci Tavares

SERVIÇO :
Show de lançamento do CD Umbilical
Dia oito de maio, às 19h
Teatro SESC-SENAC Pelourinho
Ingressos R$ 20,00(inteira) e R$ 10,00(meia)

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Assinatura da ordem de serviço para Requalificação do Rio Vermelho ainda sem data definida

Assinatura da ordem de serviço para Requalificação do Rio Vermelho ainda sem data definida
Em função das fortes chuvas que caem na cidade, a solenidade de ordem de serviço das obras de requalificação do Rio Vermelho, que aconteceria às 9h30 do dia (27), foi cancelada. Uma nova data será agendada e comunicada à imprensa.

As obras de requalificação do bairro Rio Vermelho, na orla Salvador, que vão abranger o total de 147 mil m² de área, por 28 meses e com R$ 70 milhões investidos - 20% a mais dos R$ 56 milhões voltados para os 50 mil m² da orla da Barra.

"Precisamos ter uma reunião com a Transalvador, moradores e empresariado para ver como vamos trabalhar o tráfego. Precisamos de ampla divulgação porque ali é ponto de passagem e queremos minimizar os transtornos. [Sobre a licitação] houve um recurso, mas já vencido, o contrato já foi assinado. O nosso último ponto a discutir é o trânsito", aponta o secretário de Infraestrutura, Habitação e Defesa Civil, Paulo Fontana.

Entre as principais novidades, Paulo Fontana destaca requalificações no trecho entre a Praia da Paciência e o Quartel de Amaralina, entre a Praça da Mariquita e a de Nossa Senhora de Santana, a do Mercado do Peixe, além da aplicação do piso intertravado - o mesmo posto no calçadão da Barra - na Paciência, no Largo de Santana e da entrada da Rua Fonte do Boi.

O secretário indica recuperação do asfalto e inserção de ciclofaixas em alguns trechos. Nos locais contempladas, estão projetados mirante, praças, quadra poliesportiva, radades de velocidade, fiação rebaixada e reforma da rede de esgoto. No entanto, o custo não inclui projeto de arborização e não abrange a Avenida Lucaia - neste último caso, Fontana aponta que um projeto está sendo elaborado e será apresentado ao prefeito ACM Neto. Além dos R$ 70 milhões, mais R$ 4 milhões estão orçados como custo de iluminação.

A obra foi planejada em três etapas, tendo como extremos a Praia da Paciência e o Quartel de Amaralina. "A primeira vai da Praia da Paciência até a Paróquia de Sant´Ana e tem prazo de conclusão de 10 meses. A segunda vai da Paróquia até [o Largo da] Mariquita e termina em 10 meses. A terceira da Mariquita até o Quartel de Amaralina e tem prazo de conclusão de 18 meses", disse o secretário. O foco da requalificação é a orla do bairro, contudo, ruas próximas fazem parte do projeto.

A coordenadora do Cipó e do Projeto Bairro-Escola, Fernanda Colaço, participou de reuniões com o município na época de Guilherme Bellintani à frente da pasta de Cultura e Turismo - o secretário foi remanejado para Educação. Segundo ela, a principal sugestão da entidade foi a necessidade de interiorização da obra."A gente fez críticas iniciais ao projeto, que é muito do ponto de vista da orla. Pensamos no entorno das escolas, na sinalização da área escolar, no calçamento, na iluminação. O bairro não é voltado aos pedestres, mas para os carros. Isso foi escutado. O que a gente não sabe de outubro para cá é de que for ma foi inserido", comenta.

O secretário indica que as obras vão tomar ruas internas como a Osvaldo Cruz e a Fonte do Boi, por exemplo, mas que elas não vão abarcar a totalidade das vias do bairro. "Não vamos nos restringir à orla. Agora, por dentro, a obra não chegará a 100% dos locais. Vamos entrar a Rua Oswaldo Cruz até a orla, descendo até a Rua da Paciência. Vamos pegar dali da Fonte do Boi, Praia do Buracão, trecho da Mariquita, ruas internas. Vamos ir linear, tangenciando a orla e entrando no Buracão [Rua Barro Vermelho]", conta. "Não tem como a gente atender a todos os moradores. Não existe unanimidade entre todos, uns reclamam de qualquer coisa, outros não", aponta Fontana.

O presidente da Associação dos Amigos e Moradores do Rio Vermelho (Amarv), Lauro Mata, avalia que o projeto foi amplamente debatido com os moradores. "O secretário [Bellintani, à época] fez diversas reuniões, fizemos vários pedidos de modificação e está tudo dentro do que queríamos. Nada foi feito sem que houvesse o 'ok' da Amarv e das entidades parceiras", relata. Lauro Mata aponta que foram cerca de cinco encontros para debater o projeto e que os moradores eram convocados por meio do site da entidade. Para ele, atualmente, o bairro está em "completamente favelizado".

"Aqui é um bairro que é considerado boêmio, mas o que você vê só é nome e fama. As ruas estão horrorosas, cheias de buracos. A Barra era uma carniça e hoje está linda. Se Salvador fosse um metrô, a locomomotiva seria o Rio Vermelho em termos de tradição artística, de gastronomia e boêmia. O Rio Vermelho tem q ser o bairro mais bonito de Salvador. Não é bairrismo, é realidade", avalia o presidente da Amarv. O G1 tentou contato com o presidente da Associação Brasileira de Bares de Restaurantes (Abrasel) na Bahia, sem sucesso. Informações Agecom e G1.

Confira tudo que já foi publicado sobre a Requalificação do Rio Vermelho

CAPSi Luiz Meira Lessa convida para discussão sobre o tema A Atenção em Saúde Mental Infanto Juvenil no Distrito Barra Rio Vermelho.

CAPSi Luiz Meira Lessa convida para discussão sobre o tema A Atenção em Saúde Mental Infanto Juvenil no Distrito Barra Rio Vermelho.O Centro de Atenção Psicossocial Professor Luiz Meira Lessa, situado a Rua Potiguares s/n Rio Vermelho, voltado para atenção em saúde mental infanto juvenil do município de Salvador pretende, dentro das comemorações do mês da luta antimanicomial, realizar uma mesa de discussão sobre o tema A Atenção em Saúde Mental Infanto Juvenil no Distrito Barra Rio Vermelho.

Gostaríamos de convidá-los para participar desta discussão conosco.
Certos da presença.
Atenciosamente,
Equipe do CAPSi Luiz Meira Lessa

O evento será dia 22 de maio às 8.30 na
Biblioteca Juracy Magalhães Junior
situada na Rua Borges dos Reis s/n Rio Vermelho (próximo a Pizzaria Cheiro de Pizza).

domingo, 3 de maio de 2015

Iemanjá: a “mulher com rabo de peixe”

Iemanjá: a “mulher com rabo de peixe”Por Nelson Cadena
Blog Memórias da Bahia

Um incidente entre os pescadores e o pároco da Igreja de Sant’Anna, ocorrido em 1930, teria provocado a definitiva distensão entre os primitivos protagonistas e organizadores da festa e os interesses da igreja. Desentendimentos que vinham desde 1906, quando a autoridade eclesiástica proibiu a realização da Romaria dos Jangadeiros, conforme noticiou a Gazeta do Povo em 12 de fevereiro do ano referido. Não se sabe o motivo. E se acentuou em 1919, quando o organizador da colônia, o comandante Pina, determinou que não mais se deveria pagar o dízimo à igreja pelo uso do terreno da Casa do Peso, que ficava ao lado da capela, onde os pescadores guardavam seus aviamentos e comercializavam o produto.

O impasse agravou-se com a notícia de que os pescadores estariam realizando oferendas à Mãe-d’água. E de fato isso já ocorria desde 1923 ou 1924, há divergências quanto à data. Então, o vigário, em inconveniente sermão, disse com todas as letras que era muita ignorância oferecer presente a uma mulher com rabo de peixe. Os pescadores sentiram-se ofendidos, deixaram de solicitar a tradicional missa celebrada no dia da romaria, que nem sempre ocorria em 2 de fevereiro, e assumiram explicitamente o culto à Iemanjá.

Não foi um processo imediato. Por pelo menos quatro décadas o presente à Rainha das Águas permaneceu vinculado aos festejos oficiais de Nossa Senhora de Sant’Anna, era um dos eventos do calendário festivo que se estendia por mais de uma semana. De início, o presente ocorria, sem a presença ostensiva do público que olhava de longe e não descia para a praia. Em finais da década de 40 o povo já era protagonista e esse ritual do presente foi ganhando popularidade, enquanto a Festa de Sant’Anna perdia prestígio e apenas mantinha o seu glamour com o desfile dos carros alegóricos e a eleição da Rainha da festa.

Em inícios da década de 80 o pároco da igreja, com o aval do Arcebispo, transferiu a Festa de Sant’Anna para celebração em 26 de julho. Então a Festa de Iemanjá rompeu em definitivo o seu cordão umbilical com a igreja católica e “aparentemente” com qualquer sincretismo e passou a ser festa exclusiva dos pescadores e do povo de Santo da Bahia, realizada não mais durante uma ou duas semanas, como nas suas origens, mas num dia só: 2 de fevereiro. Disse “aparentemente” por que 2 de fevereiro nada mais é do que a data mais importante do calendário católico mariano em todo o mundo ocidental. Nesse dia comemora-se a Purificação de Nossa Senhora.

A foto que ilustra este post é do acervo da Tribuna da Bahia. Mostra um artista plástico finalizando o presente especial.

Leia também:

Yemanjá não é uma sereia

A substituição da escultura de Iemanjá e a fé inabalável dos baianos

Um pouco de historia sobre a Igrejinha de Santana

Desenho de Floriano Teixeira rejeitado em 97 porque Iemanjá não era loura ilustra camisa da festa neste ano

A história da Rainha do Mar

O Rio Vermelho - Casa do peso - década de 50

Artigo - Iemanjá, o desenho da discórdia

A festa do dia 2 de fevereiro já foi assim

Presente de Yemanjá: Uma festa dos pescadores do Rio Vermelho

Ecos do passado

sábado, 2 de maio de 2015

Domingo de leitura no São João do Cabrito

Domingo de leitura no São João do Cabrito Neste domingo, 03, a partir das 9 horas da manhã, moradores do São João do Cabrito receberão, no fim de linha, ao lado da maré, a primeira parada da Dobloteca da Alegria, que levará leitura e oficinas para as crianças do bairro.

A Dobloteca da Alegria é uma biblioteca infantil itinerante que circulará pelos bairros da cidade nos finais de semana, levando livros infantis e brinquedos educativos a crianças que têm dificuldades de acesso ao universo da leitura, seja por conta dos preços dos livros ou pela ausência de bibliotecas em suas comunidades.

A pedagoga e artista Ivana Magalhães transformou o carro da família numa biblioteca e conta com o apoio e doações dos amigos. A importância deste projeto consiste não só na necessidade de estimular a leitura nas crianças, ampliando o vocabulário e melhorando a expressão e formulação de suas ideias, mas também em incentivar a contação de histórias infantis pelos adultos.

Além do acesso aos livros, adultos e crianças poderão participar da oficina de pintura em cerâmica o “Potinhoterapia”, projeto mais antigo de Ivana que une arte terapia com valorização dos artefatos cerâmicos na cultura popular baiana.

O projeto aceita doações de livros infantis, livros de colorir e brinquedos educativos.

Para ajudar entre em contato com Ivana Magalhães pelo
telefone (71) 8769-2328 ou
e-mail: ivana_maga@hotmail.com
Para acompanhar a programação da Dobloteca da Alegria acesse a página no facebook Dobloteca da Alegria.

Prainha da Fonte do Boi - Rio Vermelho


sexta-feira, 1 de maio de 2015

PALI OJC no The Dubliners Irish Pub

PALI OJC no The Dubliners Irish Pub
PALI OJC (Original Jamaican Covers) aborda Clássicos da Musica Jamaicana dialogando com o Soul, R&B e principalmente o Jazz: A chave do Ska, o começo da Historia onde os Estilos surgiram na Ilha. A banda liderada pela Argentina Pali vem trazendo um leque de Estilos e diferentes Versões no Show "Jamaican Reunion". O show convida a TODOS a mergulhar nas características mais típicas da musica Reggae, Ska, Dancehall, Rub a Dub e New Roots.

PALI OJC (Original Jamaican Covers)
Quando: Sábado, Dia 02/05 ás 23h
Onde: The Dubliners Irish Pub,
Praia da Paciência, 255 – Rio Vermelho.
Quanto: Ingressos R$10. Vendas no local.

quinta-feira, 30 de abril de 2015

Programação da Biblioteca Juracy Magalhães Jr. para o mês de maio 2015

Programação da Biblioteca Juracy Magalhães Jr. para o mês de maio 2015
Programação da Biblioteca Juracy Magalhães Jr. para o mês de maio 2015

Editoria: ARTES VISUAIS
Título: A CULTURA AFRO BRASILEIRA
Release: O Dia da África é comemorado no dia 25 de maio, simboliza a luta dos povos do continente africano pela sua independência e emancipação.
A vitrine cultural abordará a diversidade da cultura africana no Brasil destacando a religião, música, literatura, culinária e dança.


Serviço:
Onde: BJMJr. SSA.
Quando: 01 à 30 das 8h às 17h (2ª a 6ª) e sábado das 8h 30min às 12h
Quanto: Grátis
Realização: Fundação Pedro Calmon (FPC)
E-mail: bjmjr.fpc@fpc.ba.gov.br / bjmjr_rv@yahoo.com.br
Site: www.fpc.ba.gov.br
Contato: (71) 3116-5360/3116-5366

Editoria: CURSOS, OFICINAS E PALESTRAS
Título: PASSATEMPO CULTURAL
Release: Para resolver o passatempo os jovens terão que consultar livros na biblioteca.
Os assuntos serão datas comemorativas e relevantes do mês: Dia da África. Dia do Trabalho. Dia das mães.


Serviço:
Onde: BJMJr. SSA.
Quando: De 2ª a 6ª das 8h às 17h e sábado das 8h 30min às 12h.
Quanto: Grátis
Realização: Fundação Pedro Calmon (FPC)
E-mail: bjmjr.fpc@fpc.ba.gov.br / bjmjr_rv@yahoo.com.br
Site: www.fpc.ba.gov.br
Contato: (71) 3116-5360/3116-5366

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Show 100 ANOS LUZ com Samba e Alegria, com a cantora Carla Visi e convidadas

Show 100 ANOS LUZ com Samba e Alegria,  com a cantora Carla Visi e Convidadas.A cantora Carla Visi se apresentará, no próximo dia 05/05/2015, a parir das 20:00, no Botequim São Jorge, com o Show 100 ANOS LUZ Com Samba e Alegria, que contará também com a participação de duas grandes cantoras da nossa música: Laurinha Arantes e Márcia Freire.


"100 ANOS LUZ com Samba e Alegria" é um show solidário, em comemoração aos 100 anos do "Gepec - Grêmio Espírita Perseverança e Caridade".

Entrada: Doação Mínima de R$ 30,00.

Movimento Itapuã Cultural é oficialmente lançado

Após uma série de encontros e definições, deu-se início, oficialmente, na noite de ontem (28) ao Movimento Itapuã Cultural (MIC). O lançamento aconteceu na Villa Bahiana, em Itapuã, e contou com a participação de autoridades, ativistas culturais, artistas locais e lideranças do bairro, que fizeram questão de prestigiar esse tão aguardado momento.

Entre os convidados que marcaram presença, estavam o diretor de serviços turísticos da Bahiatursa, Celso Coelho, o presidente da fundação Gregório de Mattos, Fernando Guerreiro, o subprefeito, Alessandro Castro e o diretor administrativo financeiro da DESAL, Sandoval Guimarães. Durante o coquetel, apresentaram-se: Lu Santana, Rede Sonora, Maracatu Bizoro Avoador, As Morenas de Itapuã, Grupo Botequim, Escola de Samba Unidos de Itapuã e Orquestra de Pandeiros Itapuã.

“Com esse movimento, tentaremos dar visibilidade ao potencial cultural do nosso bairro, que já é conhecido mundialmente, mas que anda esquecido. Através da união, tenho certeza que faremos a diferença”, afirma Analu Franca, umas das lideranças do movimento.

Foto: Ernandes Santos

Para o coordenador de comunicação do coletivo, Eric Pereira, essa iniciativa cumpre uma função fundamental para o bairro, que é agregar diferentes movimentos em prol de um interesse comum. “A união e o envolvimento de cada grupo na construção desse coletivo foi fundamental para o resultado final que obtivemos na noite de ontem, que modéstia à parte, foi surpreendente. Não podemos esquecer também do apoio e confiança que Guil Xavier e Silvano Junior, empresários da Villa Bahiana, depositaram no projeto”, ressalta.

Terça em Movimento

A partir do dia 12/05, o coletivo promoverá o projeto "Terça em Movimento", que será realizado todas as terças, a partir das 19h00, na Villa Bahiana. O objetivo é difundir a cultura de Itapuã com shows de artistas locais e convidados. “Além de um novo público, a Terça em Movimento vai atrair formadores de opinião, ativistas culturais e pessoas interessadas em descobrir o que há em Itapuã”, diz Analu Franca, organizadora do evento. Os ingressos custarão R$ 20,00 masculino e R$ 10,00 feminino.

Entre as atrações que se apresentarão durante as terças, estão: Orquestra de Pandeiros Itapuã, Maracatu Bizoro Avoador, Rede Sonora, Escola de Samba Unidos de Itapuã, Seu Régis, Grupo Botequim, As Morenas de Itapuã, Lu Santana, Mensageiros do Vento, Tamima & Itapuã Beat.

Mais informações: https://www.facebook.com/MovimentoItapuaCultural