Blog do Rio Vermelho, a voz do bairro

terça-feira, 3 de março de 2015

A substituição da escultura de Iemanjá e a fé inabalável dos baianos

A substituição da escultura de Iemanjá e a fé inabalável dos baianos A substituição da escultura de Iemanjá e a fé inabalável dos baianos
                                  Ilustração 1                                                                    Ilustração 2

Na festa de 1971, a imagem que ficava na Casa do Peso, sede da colônia, deu lugar a uma nova. A imagem é o principal ícone público da devoção dos pescadores, e o registro fotográfico mostra essa importância.

A imagem antiga foi tratada como um objeto dotado de tal sacralidade que só poderia ser descartado no "templo" de Iemanjá: o mar. A fotografia mostra o transporte da imagem antiga. O cortejo contou com a participação de Manuel Bonfim, responsável pela confecção das duas esculturas.

A fotografia foi publicada na edição do dia 3 de fevereiro de 1971, na página 2. Embora trate de um registro histórico, a menção ao transporte da imagem é breve:

(...) Junto com o principal presente foi levada nos braços dos pescadores uma escultura de Iemanjá – aquela que permaneceu por muito tempo exposta em frente à praia. Os pescadores disseram que receberam muitas propostas para que a imagem fosse vendida, mas eles recusaram. A escultura foi colocada num barco e depositada em alto-mar. Em seu lugar foi colocada outra imagem, um pouco maior, completamente nova. As duas esculturas são do artista Manuel Bonfim (A Tarde, edição de 5/2/1971, p.2).

O texto não diz quais foram os motivos para a substituição da imagem, mas reforça a aura de sacralidade que os pescadores emprestam ao objeto, pois, mesmo recebendo propostas, recusaram-se a vendê-la. Em lugar disso, preferem incluí-la na mesma dimensão que a sua oferenda para Iemanjá ao levá-la no mesmo cortejo e com o mesmo destino: o fundo do mar.

Outro dado curioso que a fotografia revela é a mudança na representação de Iemanjá. A imagem antiga, da qual podemos ver apenas o rosto, tem cabelos pretos, olhos grandes e até assustados. A substituta representa Iemanjá como sereia. Além disso, ela ganhou uma coroa e segura o abebé, uma espécie de espelho, que é um dos elementos icônicos do orixá.

A festa ancorada na devoção dos pescadores tem conseguido resistir e, ao lado da Lavagem do Bonfim, reúne um público significativo. Já uma celebração parecida que acontecia na Pituba, um bairro vizinho ao Rio Vermelho, também à beira da praia, desapareceu.

Ilustração 1
Elementos constitutivos da fotografia -Fotógrafo: não identificado. Assunto: Festa do Rio Vermelho. Personagens identificados: Manuel Bonfim (segundo na fila, de chapéu). Catalogação em A Tarde: Pasta nº 2757 C - Festa do Rio Vermelho. Tecnologia: analógica, preto e branco. Coordenadas de situação - Tempo: 3/2/1971 Espaço: Rio Vermelho.
Ilustração 2
Elementos constitutivos da fotografia - Fotógrafo: não identificado. Assunto: Festa do Rio Vermelho. Personagens identificados: nenhum. Catalogação em A Tarde: Pasta nº 6064 - Iemanjá. Tecnologia: analógica, preto e branco. Coordenadas de situação - Tempo: 31/1/1978. Espaço: Rio Vermelho.
As imagens e trechos foram extraídos do artigo produzido por Cleidiana Ramos, doutora em antropologia e disponibilizados no site: http://www.studium.iar.unicamp.br/35/06/

Caixa Eletrônico arrombado no Rio Vermelho nesta madrugada

Caixa Eletrônico arrombado no Rio Vermelho nesta madrugadaCaixa Eletrônico arrombado no Rio Vermelho nesta madrugada

Um caixa eletrônico instalado no estacionamento  que fica no subsolo  do supermercado Bompreço, no Rio Vermelho, em Salvador, foi arrombado na madrugada desta terça-feira (3) às 3h. De acordo com a polícia, um grupo de seis homens chegou ao local em um carro de passeio, rendeu o vigilante e violou o aparelho.

Após arrombarem o caixa eletrônico, os suspeitos abandonaram o carro no estacionamento e fugiram em um outro veículo. A polícia não soube informar o valor da quantia levada. Informação G1 Bahia.

segunda-feira, 2 de março de 2015

S.O.S Praia da Paciência

SOS Praia da Paciência
Acesso principal a Praia da Paciência

Faz tempo que estamos postando no Blog fotos e textos mostrando a situação de abandono da Praia da Paciência, uma das poucas opções para o banho de mar e prática de esporte que moradores da área e do entorno dispõem. Além disso, a praia que é cercada por uma balaustrada que lhe dá um contorno absolutamente peculiar, é um dos pontos mais bonitos do bairro, onde morro e mar se encontram formando uma bela paisagem. Entretanto, nada disso consegue sensibilizar as autoridades que não dão a mínima atenção para o local. Além do esgoto que a Embasa insiste em dizer que é água pluvial, mas que despeja na areia e no mar todo tipo de dejetos, inclusive ratos mortos e outros insetos, só lembram de cortar o mato e capinar quando se aproximam as festas de final de ano e o dia dois de fevereiro. Os acessos estão impraticáveis, uma das escadarias serve de sanitário público e a outra tem um buraco enorme em um dos degraus. Para se chegar à praia construíram uma pequena ponte, só que as madeiras já estão podres. Como se tudo isso não bastasse, agora, instalaram uma barraca residência, com moradores que fazem todas as necessidades no local. No intuito de discutir e encaminhar alternativas para reverter essa situação, convidamos você amigo e amiga do Rio Vermelho a participar da reunião que será realizada no próximo dia 14 de março, às 9h30, na Biblioteca Juracy Magalhães. Contamos com a sua participação para fortalecer essa luta. Unidos somos fortes!



Leia também:

Entidades do bairro entram com representação contra a Embasa no Ministério Público

Para os que não conhecem essa é a praia da Paciência

Limpurb aparece para dar um trato na Praia da Paciência, mas problema causado pela Embasa continua

Praia da Paciência, um local maltratado por todos

A praia da Paciência e o descaso das autoridades

A praia da Paciência X incompetência ou descaso?

Lixo lançado ao mar

Embasa tem dinheiro para pagar cantora, mas deixa praia ao Deus dará

Só mesmo muita paciência

Só mesmo paciência

Bonitas e abandonadas

Carro capota na rua da Paciência

Carro capota na rua da Paciência Uma veículo capotou no bairro do Rio Vermelho na por volta das 15h desta segunda-feira (2). Segundo informações da Superintendência de Trânsito e Transporte de Salvador (Transalvador), viaturas da Polícia Militar e da Transalvador foram encaminhadas para o local. Não há informações sobre feridos. Informações Correio 24h.

Exposições, histórias e vídeos na programação de março da Biblioteca. Participe!

Exposições, histórias e vídeos na programação de março da Biblioteca. Participe!
29 de março aniversário de Salvador 

Homenageando a cidade de Salvador pelo seu aniversário, a BJMJr. RV expõe um acervo de fotos,livros e periódicos referente ao tema.
Onde: BJMJr. SSA.
Quando: 02 à 30 das 8h às 17h (2ª a 6ª) e sábado das 8h 30min às 12h.
Quanto: Grátis
Realização: Fundação Pedro Calmon (FPC)
Em homenagem ao Dia do Bibliotecário (12-03), o mural cultural abordará, com fotos, as atividades das bibliotecárias que trabalharam na Unidade ao longo dos 46 anos.
Onde: BJMJr. SSA.
Quando: 02 à 30 das 8h às 17h (2ª a 6ª) e sábado das 8h 30min às 12h.
Quanto: Grátis
Realização: Fundação Pedro Calmon (FPC)
HORA DE OUVIR HISTÓRIA

Em homenagem ao Dia do Circo (27-03) as funcionárias da Unidade, narrarão histórias sobre o tema.
Onde: BJMJr. SSA.
Quando: De 2ª a 6ª às 10h e às 15h.
Quanto: Grátis
Realização: Fundação Pedro Calmon (FPC)

Banda tributo Rock Forever faz promoção para celebrar temporada no Red River Café

Banda tributo Rock Forever faz promoção para celebrar temporada  no Red River Café  A banda Rock Forever faz temporada de shows tributo aos Beatles, todos os meses, no Red River Café, no Rio Vermelho, realizando super shows em homenagem aos geniais garotos de Liverpool. O show de abertura será realizado no dia 07 de março, a partir das 22h, com ingressos a R$ 25,00 (mulheres) e R$ 30,00 (homens).

Para celebrar, a banda lança uma promoção especial : “Foto mais Rock’n´Roll no Rio Vermelho”. Para participar, basta enviar uma foto para o e-mail promocaorockforever@gmail.com (junto com o nome completo, e-mail e RG) com o título “PROMOÇÃO FOTO ROCK’N ROLL NO RIO VERMELHO”, até o dia 26.02 (às 15h), ficar atento à publicação das fotos na fanpage da Rock Forever e fazer uma campanha para que os “fãs pessoais” votem na foto. O dono da foto no álbum que tiver mais likes, compartilhamentos e comentários (total de todos os itens) no momento da publicação do resultado será o ganhador.

No dia 04.03 será revelado o vencedor que ganha um par de ingressos para o show da banda Rock Forever, no Red River, dia 07.02.Formada por João Vitor (vocais), Jô Estrada (guitarra e vocais), Fernando Barros (guitarra e teclado), Du Txai (guitarra), João Torres (baixo), Waldir Alberto (percussão) e Pedro Deliege (bateria), a Rock Forever integra músicos de idades diferentes para um tributo aos Beatles. Criada em 2009, a banda foi formada por apaixonados pelos roqueiros ingleses. “Os Beatles são a maior influência musical de cada um nesse projeto. Nos reunimos para nos divertir e homenagear a banda que nos iniciou no rock”, conta o guitarrista e diretor musical do grupo Jô Estrada. O repertório da Rock Forever vem sempre se renovando com a infinidade de músicas executadas pelo quarteto britânico. “Nossa intenção é mostrar o rock exatamente como era feito na época. Por isso, apresentamos ao público arranjos fiéis aos originais”, completa.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Malhando para roubar

Malhando para roubar
Foto\ Divulgação \Policia Civil 
Um estelionatário foi preso nesta quinta-feira (26) por investigadores da 7ª Delegacia Territorial do Rio Vermelho, em Salvador, ao tentar dar seu golpe favorito: se matricular em uma academia para furtar um veículo de outros clientes. Luciano Bispo Leão, de 24 anos, foi preso depois de fazer matrícula para uma única aula numa academia, na Rua do Canal, Rio Vermelho. Outros três furtos semelhantes foram registrados na Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos (DRFRV) e a polícia investiga se foram cometidos também por Luciano. Segundo a delegada Jussara Souza, titular da DT/Rio Vermelho, um dos estabelecimentos dispõe de sistema de monitoramento por câmeras de vídeo, o que possibilitou a identificação do ladrão, surpreendido pela polícia num condomínio de luxo, no bairro da Barra, onde reside. Luciano já tem passagem pela polícia por assalto. A polícia está investigando o paradeiro dos veículos. As vítimas serão chamadas para fazer o reconhecimento de Luciano, na unidade especializada. Luciano foi encaminhado à DRFRV, onde acabou autuado por receptação qualificada, já que o Honda Civic recuperado estava com a placa trocada. Ele já foi encaminhado ao Núcleo de Prisão em Flagrante (NPF), no Complexo Penitenciário da Mata Escura.( Com informação do Bahia Noticias.

Cadê a lixeirinha que estava aqui?

Cadê a lixeirinha que estava aqui?Cadê a lixeirinha que estava aqui?
A lixeirinha que estava na praça que fica ao lado da Igreja de Santana sumiu. 

O fim dos cinemas de rua

O fim dos cinemas de ruaInfelizmente parece que a tendência da modernidade é mesmo acabar definitivamente com os cinemas de rua. Excelsior, Jandaia, Tupy, Tamoio, Capri, Bahia, Cine Rio Vermelho, entre outros, faz tempo que fecharam dando espaço para outras atividades. No prédio do Cine Rio Vermelho, por exemplo, atualmente funciona uma igreja universal. Agora é o circuito de cinema Saladearte, que está com os dias contados. Esse projeto que proporciona uma programação diferenciada com filmes de boa qualidade, começou a minguar com o fim das salas da Graça (Bahiano de Tênis), Pelourinho (Cine XIV), Solar do Unhão (Sala MAM-BA), Rio Vermelho (Caballeros de Santiago) e Ladeira da Barra (Aliança Francesa). Agora é o espaço do Museu Geológico, no Corredor da Vitória, que anuncia que permanecerá aberto por apenas mais um mês. A alegação é o fim do contrato e dificuldade de renovar a locação. Uma mobilização nas redes sociais tenta reverter a situação, mas, se as previsões se confirmarem, fica apenas como opção o Cinema da Ufba, na Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia (Vale do Canela). E assim vamos somando perdas e transformando Salvador na cidade do já teve.

Isso é um absurdo! Vara da Violência Doméstica é a que presta pior serviço em Salvador

Isso é um absurdo! Vara da Violência Doméstica é a que presta pior serviço em Salvador


A Vara de Violência Doméstica em Salvador é a que presta, sob todos os aspectos, o pior serviço ao jurisdicionado, com as menores taxas de resolução e maiores taxas de retardamento nas persecuções em andamento. Em três anos de pesquisa, dos casos concluídos, nenhuma condenação foi registrada. Enquanto o índice de conclusão das persecuções penais em um triênio chega a 63,89% dos casos nas Varas de Tóxicos, e de 38,94% nas Varas Criminais, na Vara de Violência Doméstica, o resultado equivale a apenas 11,97% dos casos. Do total de pessoas presas em flagrante na capital baiana, mais de 40% delas não são condenadas.

Esses são alguns dos dados reunidos em um estudo inédito produzido pela Defensoria Pública, a partir de um levantamento feito com base em dados extraídos da Central de Atendimentos a Presos em Delegacias da Defensoria Pública da Bahia - CAPRED, do sistema de peticionamento eletrônico do Tribunal de Justiça da Bahia - E-SAJ, e do Diário Eletrônico da Justiça do TJBA, de prisões ocorridas a partir de 2011. As avaliações das 1.573 persecuções penais deram origem ao 1º Anuário Soteropolitano da Prática Penal, fruto da consolidação de doze boletins, quatro relatórios trimestrais e dois relatórios semestrais publicados ao longo de 2014 pelo Observatório da Prática Penal da Escola Superior da Defensoria Pública. O Anuário traz ainda algumas análises inéditas e mais aprofundadas, sobre a situação penal de pessoas presas em flagrante após três anos, o resultado destes processos, aplicação de penas, gênero do preso, entre outros aspectos que apontam o cenário da situação penal na capital baiana.

Varas Criminais

Dentro das Varas Criminais, os crimes do Estatuto do Desarmamento são os que têm o maior percentual de resolução (53,91%, contra 40,51% do roubo e 32,17% do furto). Quanto ao resultado das persecuções concluídas, verificou-se ainda que os crimes desse Estatuto são os que trazem o maior percentual de condenações dentre todos os crimes 72,58%. "Isto porque, ao contrário do tráfico de drogas, não há outras capitulações jurídicas possíveis, diante do caso concreto, que o torne um fato de menor potencial ofensivo", afirma o estudo.

Outro delito em que o percentual de condenações é bastante elevado é o roubo, com 66,67%. Em Salvador, tanto no roubo como no furto, o bem mais frequentemente subtraído é o telefone celular, enquanto, na receptação, o automóvel é normalmente o bem mais flagrado. Bolsas, carteiras e mochilas figuram, mais ou menos, na mesma proporção, entre os objetos levados no roubo e no furto. A subtração de dinheiro em espécie é observada especialmente nos casos de roubo, enquanto bens como vestuário, alimentos, bebidas alcoólicas e eletrodomésticos figuram, sobretudo, nos casos de furto.

Drogas

Na seção dedicada aos casos envolvendo a Vara de Tóxicos, os números apontaram que 43,48% dos presos pela polícia em flagrante por tráfico de drogas não foram considerados traficantes pela justiça, sendo que 17,73% foram considerados meros usuários e 25,75% foram absolvidos de todas as acusações. A maior parte dos presos (60,45%) trazia consigo um único tipo de droga, em 24,59%, o crack, seguido da maconha (20,65%) e da cocaína (15,11%).

Os réus ao final absolvidos da acusação de tráfico de drogas permaneceram presos, em média, por 165 dias antes do julgamento. Aqueles julgados inocentes, mas que possuíam antecedentes criminais, permaneceram 225 dias presos em média, contra 152 dias dos que, além de inocentados, não tinham nenhum tipo de antecedente, o que demonstra que o histórico do indivíduo terá importância considerável na avaliação de cada caso. Mesmo aquele que foi reconhecido como usuário, mas não possuía qualquer tipo de antecedente criminal, passou em média 94 dias preso.

Penas

Os dados encontrados pelo Observatório sugerem que, ao menos em Salvador, o emprego da pena alternativa é adotado de forma razoável pela Justiça. Aqui, a pena privativa de liberdade é a mais frequentemente aplicada - em 57,43% dos casos, embora, nas Varas de Tóxicos, o percentual seja de 51,59% para penas restritivas de direitos. Na prática, em vez da prisão, o indivíduo é condenado à prestação pecuniária; perda de bens e valores; prestação de serviço à comunidade ou a entidades públicas, entre outras penas.

Segundo o diretor da Esdep e coordenador da pesquisa, Daniel Nicory, quando o Observatório da Prática Penal foi criado, há mais de um ano e meio, já havia um objetivo claro de divulgar as conclusões encontradas e contribuir com dados confiáveis para o diagnóstico de alguns dos problemas do seu funcionamento real, fomentar a discussão não só do diagnóstico, mas, em especial, da formulação de estratégias destinadas ao seu enfrentamento e superação. Ainda de acordo com Nicory, "com a divulgação dos resultados do Observatório, a Escola espera cumprir de forma mais adequada as suas funções institucionais de produzir e divulgar conhecimento científico em Direito, contribuindo para o debate público, com dados coletados e tratados de forma rigorosa e imparcial, capazes de embasar a atuação da própria Defensoria Pública e de outras instituições estatais ou da sociedade civil".

O 1º Anuário Soteropolitano da Prática Penal será lançado em uma apresentação nesta quarta-feira, (25), às 14h, na sede da Esdep, localizada à Rua Pedro Lessa, nº 123, Canela, com o coordenador do estudo, Daniel Nicory.

Para conferir o 1º Anuário Soteropolitano da Prática Penal na íntegra, já disponível na página da Esdep, clique aqui. Assessoria de Comunicação