Blog do Rio Vermelho, a voz do bairro

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Atenção! Vamos colaborar para impedir a epidemia da febre chikungunya

De acordo com matéria divulgada na edição de hoje no jornal Tribuna da Bahia, após o Ministério da Saúde anunciar que a Bahia está em estado de epidemia da febre chikungunya, a capital começou a se preparar para um possível surto. Os cuidados para evitar a doença são os mesmos da dengue: evitar deixar água parada em locais de possíveis reproduções dos mosquitos. Confira a matéria completa 




Localização do monumento de Jorge Amado e Zélia é inadequada

Localização do monumento de Jorge Amado e Zélia é inadequada
Com a movimentação dos carros o monumento perde a visibilidade 
Por Sarnelli

Constantemente, como todos os moradores do Rio Vermelho, o bairro, primeiramente, dos artistas e depois da boemia, e por aí vai, passo pelo Largo de Santana, esse é o nome oficial da praça da igrejinha antiga, e vejo aquele monumento em homenagem merecida ao grande escritor Jorge Amado e Zélia Gattai, também ela escritora. Já me habituei com ele, que não pode fazer falta na paisagem. Mas a sua visibilidade precisa melhorar. O casal está escondido!

Como morador, acrescento, antigo morador, desejo externar uma opinião.

Com o passar do tempo e tendo observado diversas situações, passei a achar que a localização atual é inadequada. Como a opinião é livre, posso, sem constrangimento, externá-la, mesmo sabendo que outras pessoas, democrática ou teimosamente, discordarão dela.

Não importa! Tem gente por aí dizendo pérolas, sem vitimar ninguém... Então, eu também posso!

O que tenho visto? Se a intenção foi colocar o Jorge e a D.Zélia de frente para o mar, imortalizados em figuras de bronze, para apreciar a beleza do nosso mar azul até o horizonte, o nosso céu limpo, até mesmo a revoada das gaivotas, e também para serem vistos, a movimentação do local não permite e explico o porquê. À noite, com a movimentação do largo, ela a estátua (ou monumento?), perde visibilidade ou é maltratada, por bebuns que não sabem o que estão fazendo ou fazem, e de propósito. Já foi encontrada até uma pessoa deitada sobre o colo das figuras. Outras pessoas, digo bebuns, até urinam ao pé da obra em flagrante desrespeito às memórias dos homenageados.

Localização do monumento de Jorge Amado e Zélia é inadequada De dia, a coisa muda! Além do estacionamento em paralelo junto ao meio fio, de veículos, chegam os enormes caminhões para a reporem a bebida que foi consumida na véspera, o que bloqueia a visão do oceano, fato que ocorre a semana inteirinha . A homenagem nem de dia nem à noite tem visibilidade alguma para quem trafega pela pista de asfalto da rua da Paciência. Que vem da Mariquita no sentido Av.Oceânica, passa direto sem ver coisa alguma. Quem vem da Av.Oceânica no sentido Mariquita também não vê por causa do tráfego e dos carros estacionados ao longo do meio-fio. Para aumentar a visibilidade, até que a obra poderia ser iluminada à noite.

Na minha visão, a homenagem merece ser posicionada em local que lhe dê maior visibilidade.

Afinal, foi para que o público veja, que ela foi pensada!

Localização do monumento de Jorge Amado e Zélia é inadequada Há, em Santana, uma posição que eu acho que pode muito bem atender a esta finalidade onde, de maneira alguma , poderá acontecer o que ocorre agora. É aquela área na entrada do estacionamento em frente a banca de revista. Aproveitando que brevemente teremos a requalificação da orla do Rio Vermelho, acho que a oportunidade é esta e ainda sugiro que o trabalho seja um pouco mais exposto e elevado do nível do passeio, talvez , uns 40 ou cinqüenta centímetros. Enfim é assunto para arquiteto, mas, para permitir que uma ou duas pessoas possam se fazer fotografar ao lado de Jorge, Zélia e o cãozinho, bastariam um ou dois degraus na lateral para elas subirem.
Localização do monumento de Jorge Amado e Zélia é inadequada
Nesse local o monumento ficará bem mais visível

Esta é a minha opinião, que passo adiante com a única intenção de colaborar e melhorar apresentação da homenagem que o bairro fez ao seu também morador ilustre, por sinal, meu vizinho, durante algumas épocas dos anos, que não tem razão alguma para ficar escondida.

Quem sabe, surgirá ali um ponto em que turistas pararão para serem fotografados junto aos três, levando uma bela lembrança do Rio Vermelho?

Aposto como vai acontecer! Aqui fica o meu pensamento e essa é, portanto a minha opinião de morador antigo do bairro, pois aqui vivi até hoje, desde a minha tenra infância, e também de admirador dos homenageados, que precisam aparecer mais.

domingo, 19 de outubro de 2014

Sinaleira demora tanto de abrir que pode entrar para o livro dos recordes

Sinaleira demora tanto de abrir que pode entrar para o livro dos recordes Essa sinaleira na saída da Praça Brigadeiro Faria Rocha é sem dúvida a que mais demora para abrir entre todas que existem na cidade, pode até entrar para o livro dos recordes... São dois minutos, isso pode até parecer pouco, mas para quem espera em um ônibus lotado é uma eternidade, ainda mais que na maioria das vezes a Rua Osvaldo Cruz fica engarrafada, o sinal abre e fecha e os motoristas não conseguem sair do lugar.

Hospital Nita Costa: O Rio Vermelho já foi assim

Hospital Nita Costa - Casa das Crianças, o Rio Vermelho já foi assim

Mais uma foto publicada no face “'Bahia, histórias e encantos" nos permite um mergulho no túnel do tempo e a comparação do quanto o Rio Vermelho vem sendo descaracterizado ao logo dos anos. Na foto antiga, o hospital Nita Costa, onde também funcionou a Casa das Crianças. Abandonado o prédio acabou demolido. Chegou até mesmo a se fazer uma mobilização para transformar o local em um centro cultural, mas, infelizmente, não deu em nada e o terreno ficou vários anos em litígio na justiça. No início deste ano O’R, braço imobiliário do Grupo Odebrecht, começou a preparar o terreno para receber três ou quatro grande torres, de acordo com o noticiário da imprensa, mas depois de retirar dezenas de caçambas de terra não se viu mais movimentação de obra no local.

Leia mais:

Hospital Nita Costa - Casa das Crianças, o Rio Vermelho já foi assimHospital Nita Costa - Casa das Crianças, o Rio Vermelho já foi assim
Terreno do antigo hospital Nita Costa - outubro de 2014

Ministério Público comunica arquivamento de representação contra o La Vista

Ministério Público comunica arquivamento de representação contra o La Vista
foto em 01/06/2013 

O Ministério Público arquivou o processo que julgou a representação feita pela Amarv e outras entidades do bairro questionando os prejuízos urbanísticos, ecológicos e estéticos causados ao no Rio Vermelho, com a nova edificação.O arquivamento foi precedido da assinatura de um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) com a construtora R2, responsável pelo empreendimento La Vista, em construção na última nesga de terreno no Morro do Conselho, no Rio Vermelho,onde a mesma se compromete a acatar os encaminhamentos feitos pelo arquiteto Armando Branco, contratado para elaboração de um laudo pericial, visando apurar possíveis violações à ordem urbanística e ambiental.

Confira a íntegra do relatório do arquivamento e o teor completo do TAC

Ilmo. Sr.
LAURO ALVES DA MATTRA JÚNIOR
Prezado Senhor,
O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DA BAHIA, por sua representante subassinada, com fulcro no artigo 78, §§ 1°, da Lei Complementar Estadual 11/96, e art. 26°, §2° da Resolução 006/2009 do Ministério Público do Estado da Bahia, comunica a Vossas Senhorias o arquivamento da Representação de SIMP nº 003.0.245051/2012, nos termos da decisão em anexo, ao tempo em que informa que poderão comparecer nesta Promotoria às terças-feiras, no turno matutino, para eventuais esclarecimentos sobre a decisão, bem como da mesma pode recorrer para o Conselho Superior do Ministério Público.
Atenciosamente,
HORTÊNSIA GOMES PINHO
Promotora de Justiça
Missão do MPBA: Defender a sociedade e o regime democrático para garantia da cidadania plena.


Ministério Público comunica arquivamento de representação contra o La Vista
Mesmo ocupando o restante do morro técnicos consideram que está tudo bem com a obra do La Vista

sábado, 18 de outubro de 2014

Lívro do escritor e jornalista Biaggio Talento ganha prêmio Internacional

Lívro do escritor e jornalista Biaggio Talento ganha prêmio Internacional O livro "A Economia da Salvação - Uma história da domesticação da morte em Salvador por mercadores de escravos e usurários - Séculos XVI/XIX", do jornalista Biaggio Talento morador do Rio Vermelho (publicado pelo selo Primeira Edição da Assembleia Legislativa da Bahia), ganhou a medalha de prata no Concurso Internacional de Literatura 2014, categoria ensaio (Prêmio Vianna Moog).

O concurso foi promovido pela União Brasileira dos Escritores, com sede no Rio de Janeiro. Nessa mesma categoria foram premiados os livros "Labirinto da Realidade", de Cátia Castilho Simon, que levou a medalha de ouro; "Marco Polo e a Cidade das Nuvens", de João César de Melo Batista, medalha de bronze; 'Quando os Pássaros Gritam', de Marise Fatima Andreatta, menção honrosa.(Com informação do Jornal A Tarde)

Será que nem a polícia sabe para que serve o piso tátil?

Em uma postagem desta semana Bartolo Sarnelli, o colaborador mais atuante do Blog, contou a reação de uma motorista quando ele pediu para que estacionasse o carro de forma a deixar livre o piso tátil. Na manhã deste sábado até um carro da policia estava estacionado avançando sobre o piso. A prefeitura que gasta tanto dinheiro em propaganda prá dizer que "tá todo mundo gostando", bem que poderia usar parte dessa verba para campanhas educativas, entre elas, informar aos motoristas que o piso tátil está sendo implantado nos passeios da cidade para facilitar a locomoção das pessoas cegas. Quem sabe assim os sem educação conseguem enxergar melhor onde estacionar.

Será que nem a polícia sabe para que serve o piso tátil?

Dia 22 tem reunião do Bairro-Escola Rio Vermelho. Participe!

Dia 22 tem reunião do Bairro-Escola Rio Vermelho. Participe!

O Grupo Ampliado do Bairro-Escola Rio Vermelho fará sua reunião mensal no dia 22 de outubro, das 17h às 19h, no Caballeros de Santiago (Rua da Paciência, 441, Rio Vermelho).

A principal pauta do encontro será o Plano Educativo Local (PEL). Venha entender qual a importância desse instrumento orientador e estratégico para desenvolver um bairro educador no Rio Vermelho.
Professores, estudantes, moradores, pesquisadores, comerciantes, artistas e amantes do Rio Vermelho têm feito consultas sobre a relação das escolas com bairro e sobre temas relacionados a cultura, a rede atenção à criança e adolescente, a educação e ao meio ambiente no bairro. Tudo para trazer subsídios para a construção do PEL.

Em setembro, foi formada a Comissão Gestora do Bairro-Escola Rio Vermelho, que tem realizado encontros para refletir sobre dados obtidos sobre a escola e o bairro.

Agora chegou o momento de o Bairro-Escola Rio Vermelho construir o seu Plano Educativo Local e é importante a participação da comunidade nesse momento! Estamos te aguardando.

Reunião de Grupo Ampliado Bairro-Escola Rio Vermelho
Onde: Caballeros de Santiago (Rua da Paciência, 441, Rio Vermelho)
Quando: dia 22 de outubro, das 17h às 19h

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Mais um problema sem solução no bairro

Esse é um problema que se repete constantemente. A maré empurra a areia e deixa a água podre do Rio das Tripas retida exalando um fedor insuportável. Uma sequencia de descasos contribuem para essa situação:
descaso da Embasa que não trata a água que é lançada no Rio e nem se preocupa em resolver o problema quando a areia impede que a água escorra; 
descaso das pessoas que jogam lixo e tudo que é detrito no rio; 
descaso porque já foram gastos bilhões para programas de saneamento e o problema só faz se agravar; 
Leia o que já foi publicado sobre o Rio Lucaia.
Mais um problema sem solução no bairroMais um problema sem solução no bairro

Moradores querem excluir o Rio Vermelho da "Lei do Barulho"

Moradores querem excluir o Rio Vermelho da "Lei do Barulho" Sancionada pelo prefeito ACM, divulgada no Diário Oficial do Município, a polêmica “Lei do Silêncio “ ainda depende de regulamentação. As mudanças que autorizam som mais alto em alguns pontos do Pelourinho, Arena Fonte Nova e trechos da orla de Salvador, incluindo o Rio Vermelho, ainda não estão em vigor.

Muitas pessoas que não estavam acompanhando o processo de discussão durante a tramitação desse projeto na Câmara, “acordaram com o barulho”, somente depois que a Lei foi sancionada. No Rio Vermelho já existe uma movimentação de moradores no sentido de solicitar do Executivo a exclusão do bairro, que já é barulhento por natureza em muitas ruas.

De acordo com Silvio Pinheiro, da Superintendência de Controle e Ordenamento do Uso do Solo (Sucom), em entrevista publicada no Jornal A Tarde, em 08/10/2014, a lei existe, mas ainda não está sendo aplicada, pois permanece em fase de regulamentação. “Sabemos da existência da polêmica em torno das alterações desta lei, mas ela ainda será regulamentada.

Estamos ajustando alguns pontos, principalmente em relação aos locais onde, historicamente, já existem eventos e tem uma permissividade maior em períodos de carnaval e festas juninas. Portanto, podemos dizer que a lei existe, mas ainda não é aplicada”, afirmou o superintendente.

Veja o que já foi publicado sobre o assunto e a confira a íntegra da nova lei

O vereador Henrique Carballal negociou a aprovação de uma nova Lei do Silêncio em Salvador para votar a favor do projeto de desafetação de 59 terrenos do município

Armando Avena no site Bahia Econômica entrevista o vereador Henrique Carballal sobre a flexibilização da Lei do Silêncio.

Confira na íntegra a Lei 194/14, a publicação no Diário Oficial do Legislativo e a máteria num Diário de grande circulação.

Reunião no MP discute como reverter nova Lei do Silêncio