Blog do Rio Vermelho, a voz do bairro

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Comunicado importantre sobre Coleta Seletiva no Rio Vermelho



Por Tereza Paim

Prezados,

Fechamos com o Sr. Manoel da Cooperativa Canore, que fica no Nordeste de Amaralina, e a partir do dia 29 de novembro estaremos operando com eles com coleta seletiva diária ou sob demanda. Basta chamar fone 3346-3050.

O processo da coleta é da seguinte forma: basta separar e tirar o lixo orgânico, pois o resto todo ele leva pro reciclo. Eles deixam um ou mais BAGs (sacos de armazenamento) que tem nos segundes tamanhos: 1m X 1m e 1m X 2M. Deixam também as bombonas pra coleta do óleo e pegam quando ligar.

Alguns cuidados precisam ser tomados: as caixas de papelão precisam ser desmontadas e os vidros precisam ficar em um bag separado e não muito cheio. Ou seja vcs devem ligar e falar com Sr. Manoel ou Felipe pra dimensionar os bags de cada estabelecimento.

Os estabelecimentos que já firmaram parceria com a Canore foram: Hotel Bahia Park, restaurante Casa de Tereza, Mercado do Peixe e Red River Café.

Ratificando, a CANORE coleta lata, vidro, papel, plastico, fios e óleo. NÃO ENTRA Lixo orgânico, resíduos de obra, lâmpadas e baterias.

A AMARV participou da reunião como entidade parceira e dará todo apoio necessário para viabilizar que o Bairro se reposicione nessa questão tão importante.

Logo quem quiser aderir à coleta seletiva, ligue 3346-3050, fale com Felipe e inicie. Faça seu contrato, fixe seu horário e dê entrada na Limpurb pra ser classificado como PEQUENO GERADOR DE RESÍDUOS SÓLIDO que é atendido pela Limpurb sem custo adicional.

Vamos fazer uma corrente do bem, para o bem do planeta. Vão divulgando com os vizinhos e vamos seguindo. Quando aderir informe à AMARV, queremos bater record rápidooooo!!!. Isso é uma ato político, cuidar do planeta.

Tereza Paim

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Assaltos constantes transformam a Almirante Barroso em um dos trechos mais perigosos do Rio Vermelho

Assaltos constantes transformam a  Almirante Barroso em um dos trechos mais perigosos do Rio Vermelho O assalto que aconteceu na última sexta-feira (24) no salão de beleza da Rua Almirante Barroso,(antigo alto de São Gonçalo), amplamente noticiado na imprensa local, foi mais uma uma ocorrência que demonstra o quanto esse trecho do Rio Vermelho se tornou perigoso. O elemento armado anunciou o assalto por volta das 14h, quando a rua apresenta um movimento até razoável. Entrou no estabelecimento com a arma em punho rendeu as clientes roubou joias, dinheiro e saiu numa boa.Não se dando por satisfeito depois de roubar o salão, retornou e ainda assaltou uma mulher grávida que estava estacionando o carro. Levou a bolsa e ainda arrancou a gargantilha do pescoço da vítima.

Depois da limpa e de deixar um rastro de medo na localidade, entrou no carro onde o comparsa esperava e seguiram tranquilamente, certamente, para fazer novos assaltos, nesse mar de tranquilidade em que se transformou a cidade para a bandidagem.

O homem achou o caminho da Lua, mas até hoje não consegue achar a cesta do lixo

O homem achou o caminho da Lua, mas até hoje não consegue achar a cesta do lixo O bairro-escola Rio Vermelho vem desenvolvendo uma campanha sem trégua para conscientizar os moradores a não jogarem lixo na rua, principalmente próximo aos colégios do bairro.

Uma das que mais sofre com essa falta de educação é a Escola Municipal Oswaldo Cruz, que fica na Rua do Meio, onde o passeio é utilizado para o descarte de tudo que é porcaria, inclusive entulho.

Apesar de toda a campanha, a imundice continua.

Nesse caso torna-se necessária uma ação mais rigorosa por parte da Prefeitura que precisa, com urgência, mandar um fiscal para a área e começar a aplicar multas aos infratores. Não é possível continuar compactuando com esse desrespeito às crianças e professores.

Que cada morador coloque o lixo em sua própria porta quando estiver próximo do horário da coleta. È como diz o cartaz muito bem bolado fixado no muro da Escola:

“O homem achou o caminho da Lua, mas até hoje não consegue achar a cesta do lixo”

Leia também:

Novas lixeiras, velhos hábitos

Lixo na rua: O problema continua em vários pontos do Rio Vermelho

O presidente da Amarv alerta sobre a necessidade de PEVs e mobilização de catadores de materiais recicláveis

O homem achou o caminho da Lua, mas até hoje não consegue achar a cesta do lixo

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Isso é vandalismo!

Isso é vandalismo!
As manifestações de vandalismo continuam se repetindo no Rio Vermelho. A placa alusiva à inauguração da escultura feita por Tati Moreno, em homenagem ao escritor Jorge Amado, no Largo de Santana ficou nessas condições após as comemorações dos partidários da candidata eleita à presidência da República, no último domingo. Isso é uma absurdo usam a praça para fazer festa e ainda esculhambam com tudo. Uma falta de educação e de cidadania sem limites! Quando a escultura foi inaugurada a AMARV chegou a anunciar que seria instalada uma Câmera na antiga igrejinha para ajudar na vigilância do monumento, mas pelo visto ficou apenas na intenção.

Um pouco de historia sobre a Igrejinha de Santana

Um pouco de historia sobre a Igrejinha de Santana Nesse recorte do Jornal a Tarde de 1959, um declaração histórica do Vigário da Paróquia sobre a construção da nova Igreja de Santana. Nessa reportagem ele nega interesse em demolir a igrejinha, desmentindo informação que circulava na cidade de que ele defendia a demolição. Por via das dúvidas, moradores e artistas se uniram em defesa da Igrejinha, que felizmente foi mantida.

Dados Históricos

Igreja inconcluída provavelmente da 1ª. metade do século XIX. Seu projeto segue o modelo adotado nas igrejas matrizes de irmandades a partir do início do séc. XVIII, isto é, corredores laterais superpostos por tribunas. Este projeto, porém, não foi concluído, mas os vãos entaipados das tribunas do lado esquerdo podem ser identificados em seu interior. Em seu estado atual parece ter sido construída em duas etapas. A primeira, compreendendo: nave, capela-mor e sacristia. A segunda, compreendendo um corredor lateral desproporcionado, superposto por sótão.

Esta segunda etapa parece um arranjo destinado a ganhar espaço, face à dificuldade de concluir o plano primitivo. A nave apresenta dois altares laterais embutidos sob arcos de descarga, reminiscências das antigas capelas laterais da planta jesuítica luso-brasileira tradicional. Sua fachada é formada por dois corpos. O correspondente à nave é terminado por um frontão rococó tardio. Não há vestígios de torre.

Histórico arquitetônico: Tomé de Souza doa ao Conselho e Câmara do Senado da Cidade uma sesmaria, para o povo, neste local. Surgem aí os primeiros currais e armações de pesca. Mais tarde D. Marcos Teixeira, regressando de Abrantes (Espírito Santo) e investido do cargo de Capitão-mor, organizou a resistência à invasão holandesa de 1624. Com o passar dos anos surgem dois pequenos povoados: A Paciência e a Mariquita. Durante o período que coincide com a guerra do Paraguai (1864-1870), surge entre os dois lugares um terceiro, hoje conhecido como largo de N. S. de Santana, onde se encontra a igreja e as fundações de um baluarte que não chegou a ser concluído.

Fonte: Cd-room IPAC-BA: Inventário de proteção do acervo cultural da Bahia, Bahia, Secretaria de Cultura e Turismo.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Problema à vista

Problema à vista O Rio Lucaia, ou o que sobrou dele, nesse trecho da Rua do Canal, está cheio porque a areia subiu onde ele desemboca na Mariquita e não aparece ninguém da Embasa para resolver o problema. Se com essa variação de tempo cair um temporal em Salvador, vai transbordar e alagar não apenas as duas pistas mais também as casas comerciais que ficam nos dois sentidos da rua.

Saiba tudo que já foi publicado no Blog do Rio Vermelho sobre o Rio Lucaia.



Problema à vistaProblema à vista

Mais uma vez a praça ficou vermelha

Mais uma vez a praça ficou vermelha A militância do PT mais uma vez ocupou o Largo de Santana, no Rio Vermelho, dessa vez para comemorar a vitória da Presidenta Dilma, reeleita para governar o país por mais quatro anos. Assim que a votação foi encerrada os petistas começaram o ocupar a praça com suas bandeiras e mesmo antes do resultado já estavam gritando palavras de ordem e soltando foguetes. Depois do anuncio oficial confirmando a vitória da petista e a praça virou um grande salão de festa com muito barulho até a madrugada, com o som de um trio elétrico bastante elevado. O trio que mesmo sendo proibido de entrar no Rio Vermelho foi transformado em palanque usados por parlamentares que se revesavam para expressar o contentamento pela vitória.O trânsito ficou praticamente parado porque a pista nos dois sentidos foi tomada pela militância. Vários cantores também se apresentaram para desespero dos moradores que estavam querendo assistir a algum programa de televisão ou simplesmente dormir.

Mais uma vez a praça ficou vermelhaMais uma vez a praça ficou vermelha

Uma viagem direta do túnel do tempo com o professor Cid Teixeira

 Uma viagem direta do túnel do tempoEsse recorte do Jornal A Tarde de abril de 1990, com certeza trará muitas recordações aos moradores mais antigos. O professor Cid Teixeira faz um passeio pelas ruas do bairro onde vai encontrando com  antigos moradores, um passeio   que nos leva a uma deliciosa viagem a um Rio Vermelho que ficou no passado. Vale a pena conferir.

domingo, 26 de outubro de 2014

Mais um deslisamento de terra que só faz aumentar

Esse deslisamento de terra já vem ocorrendo constantemente no trecho próximo às quadras e os sem educação aproveitam para jogar entulho no local. Vamos esperar que as anunciadas obras de requalificação do bairro consigam barrar essa situação.

Mas um deslisamento de terra que só faz aumentar

sábado, 25 de outubro de 2014